Política

Co-autor do Estatuto do Nascituro é ex-deputado evangélico

Imagem Co-autor do Estatuto do Nascituro é ex-deputado evangélico

Bassuma, porém, declarou que proposta não em nada a ver com bancada religiosa

Publicado em 07/06/2013, às 08h15        Lucas Esteves (Twitter: @lucasesteves)

Entrevistado pelo Bocão News, o ex-deputado federal Luiz Bassuma (PMDB) criticou o que considera “distorção” do projeto de criação do Estatuto do Nascituro e garantiu, além disto, que a proposta não tem nada a ver com os evangélicos. Logo após a aprovação da regulação passar pela segunda comissão na Câmara nesta quarta-feira (5), diversas vozes em todo o país se levantaram para acusar a bancada cristã em Brasília como responsável por levar adiante o PL, especialmente nas redes sociais.
Porém, a afirmação do peemedebista não pode ser considerada uma verdade total. Além de Bassuma, o Estatuto foi criado pelo também ex-deputado federal mineiro Miguel Martini (PHS), evangélico assumido e atuante na causa cristã. Na atividade parlamentar do mineiro, entre outras disputas, estão a tentativa de proibir homossexuais de adotar crianças e estabelecer matrimônio, votar contra a criação do “kit gay” e também esforços no sentido de impedir o Supremo Tribunal Federal (STF) de julgar o direito de aborto de fetos anencéfalos.
“Queremos defender a vida, a família e os valores evangélicos. Há uma minoria tentando impor, para que o anormal seja considerado normal. Queremos continuar com o direito de sermos normais”, declarou em 2010 Martini ao Congresso em Foco sobre a cruzada contra o direito ao casamento dos homossexuais. Na época, Martini chegou a ir com o pastor Silas Malafaia ao senado para manifestar formalmente desagravo à proposta de criminalização da homofobia no Brasil.
“Não tem nada a ver com os evangélicos. Eu criei o projeto e não sou evangélico, sou um defensor do direito à vida”, disse Bassuma. “Na sessão, os deputados evangélicos votaram a favor do projeto, claro, mas a defesa do Estatuto não está relacionada a eles”, defendeu Bassuma. Presente na sessão que aprovou o PL, o baiano disse que apenas os deputados petistas na comissão rejeitaram a proposta. Não por coincidência, Bassuma deixou o PT na época em que era parlamentar exatamente por conta de seu posicionamento intransigente em relação ao assunto.

Nota originalmente postada às 15h do dia 6

Classificação Indicativa: Livre