Política

Em Salvador, Aécio critica governo e diz que PSB está próximo ideologicamente

Imagem Em Salvador, Aécio critica governo e diz que PSB está próximo ideologicamente

Senador também confirmou o trabalho conjunto entre os partidos da oposição, incluindo PMDB

Publicado em 21/09/2013, às 10h36        Lucas Esteves (Twitter: @lucasesteves)


Pré-candidato à Presidência da República, o senador mineiro Aécio Neves (PSDB) começou por Salvador uma viagem pelo Nordeste para divulgar seu nome em busca das eleições do ano que vem. Durante coletiva de imprensa, defendeu que seu partido representa o novo na política, criticou o trabalho da presidente Dilma Rousseff e disse vê aproximação ideológica entre os tucanos e o PSB de Eduardo Campos.
Neves afirmou que a atitude recente do PSB de entregar os cargos de ministérios a Dilma Rousseff deixou claro que há um rompimento político entre as duas partes e que não há nenhuma condição de Eduardo Campos seguir marchando nas fileiras da presidente. Por conta disto, classifica como natural a aproximação que ocorre entre os dois políticos, que segundo ele têm uma longa relação pessoal que passou para a vida pública.
“O PSB busca também construir um projeto alternativo de país, o que eu acho que é muito bom. O PSB, ao meu ver, percebe que este modelo aqui aí está exauriu-se. Perdeu a capacidade de construir qualquer reforma, a falar com o coração das pessoas”, analisou. Para o senador, há alianças estaduais entre tucanos e socialistas e que uma possibilidade de união para o próximo pleito poderia ocorrer de maneira tranquila. 
Aécio Neves negou também estar usando o exemplo do governo para antecipar a campanha e disse que sua “turnê” pelo Brasil não é uma maneira de fazer o mesmo, mas sim conhecer pessoas e desenvolver seus projetos. Do lado do governo porém, o tucano acredita que Dilma Rousseff se recusa a fazer um governo gerencial e aponta que a presidente tem uma agenda unicamente eleitoral.
“O papel da oposição é permanentemente apresentar propostas e andar pelo país. O que há de diferente e inusitado neste momento é a ação do governo. Não temos mais uma presidente da República. Temos uma candidata a presidente da República que se move única e exclusivamente em razão da eleição. Temos hoje um governo do marketing comandando as decisões governamentais”, analisou.
Bahia – Quando falou da Bahia, Aécio Neves confirmou que haverá a manutenção da aliança local entre PSBD e DEM, ainda que não tenha apresentado nenhuma preferência por um nome de um ou outro partido a concorrer ao Governo do Estado no ano que vem. Presentes ao evento, pré-candidatos como José Carlos Aleluia e João Gualberto não foram exaltados nem depreciados pelo presidente nacional do partido, que deixou claro que todos os nomes têm iguais possibilidades.
O senador mineiro disse que também não está preocupado com um possível palanque duplo entre a candidatura do bloco e a possível do PSB, que na Bahia teria Lídice da Mata como candidata. Para Aécio, o momento é de fortalecer a própria campanha uma vez que não há possibilidade de prosperar na ambição política com o trabalho separado entre as duas legendas.
A ausência do PMDB no evento não foi um problema para o tucano e, segundo ele, o partido deverá seguir conjuntamente na campanha do ano que vem. Para “fiar” esta situação, Aécio Neves citou a relação pessoal entre os dois e ressaltou que está otimista com a possibilidade do partido se manter na aliança, que foi oficializada no 2º turno das eleições passadas em Salvador. “Só quem tem a ganhar é o povo”.

Publicada no dia 20 de setembro de 2013, às 19h10

Classificação Indicativa: Livre