Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Economia e Mercado

“A imagem do Brasil está no chão”, avalia Rui sobre postura do governo federal em meio a pandemia

[“A imagem do Brasil está no chão”, avalia Rui sobre postura do governo federal em meio a pandemia ]
16 de Maio de 2020 às 16:25 Por: Reprodução/YouTube Por: Redação BNews

O governador Rui Costa (PT) avalia que, embora o Brasil enfrente um cenário de “baixíssima” credibilidade no contexto internacional desde o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) em 2016, a atual postura do governo brasileiro diante da pandemia do novo coronavírus coloca a imagem do País “no chão, na lona”.

“Depois [do impeachment] tivemos o governo Temer e a eleição do Bolsonaro. O Brasil, que já vinha com baixa credibilidade internacional, eu diria que foi ao subsolo. A imagem do Brasil está no chão, na lona”, opinou o governador na tarde deste sábado (16).

A declaração foi dada durante evento online organizado pelo Observatório da Democracia, e mediado pelo presidente nacional da Fundação Leonel Brizola-Alberto Pasqualini (FLB-AP), Manoel Dias, com a temática "Pandemia, Crise e Pacto Federativo".

Rui participou do painel junto aos governadores Renato Casagrande, do Espirito Santo; Flavio Dino, do Maranhão; e Helder Barbalho, Pará. Para o chefe do executivo estadual, o atual descredito brasileiro tem um impacto gigantesco não só agora, mas também no futuro próximo, quando todos estiverem retomando os negócios e o desenvolvimento.

“[Isso é] fruto de sucessivos comportamentos de desprezo à ciência, a democracia. Desprezo às reações internacionais. Vamos completar um ano e meio do atual presidente e grandes nações do mundo já foram atacadas pelo atual governo. China, França, Argentina, outros colegas nossos da América Latina. Sucessivamente atacados em vários momentos”, lembrou.

Rui acrescentou que agora chegou é vez da Organização Mundial de Saúde (OMS) ser sistematicamente atacada pelo governo Bolsonaro, que contesta as orientações relativas ao distanciamento social e também a formação acadêmica dos seus membros. 

Para o governador, essas atitudes provocam perplexidade diante da atitude de outros líderes mundiais. “O presidente não só incentiva como propõe que os comerciantes e empresários se organizem para enfrentar, coagir e constranger os governadores e prefeitos. Não é fácil salvar vidas humanas nessas condições”, lamenta. O evento foi transmitido na íntegra pelo YouTube.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso