Eleições 2020

Baixa visibilidade e isolamento político de Major Denice preocupam petistas

[Baixa visibilidade e isolamento político de Major Denice preocupam petistas]
Por: Henrique Brinco 0comentários

A baixa visibilidade e o isolamento político imposto pelos demais partidos contra a Major Denice Santiago já é motivo de preocupação entre os candidatos do PT para a Câmara Municipal de Salvador. Diante da pandemia da Covid-19 e das novas regras eleitorais, eles precisarão de um nome forte para puxar a campanha e garantir cadeiras no legislativo. A pré-candidata à Prefeitura não tem conseguido chamar para si o protagonismo esperado para uma candidatura petista e nem mesmo polarizado competitivamente com o pré-candidato do DEM, Bruno Reis. Para se ter uma ideia do cenário, dentro no campo carlista, a preocupação maior é com o potencial crescimento do pré-candidato Pastor Sargento Isidório (Avante), que tem pontuado bem nos levantamentos feitos até então.

Leia também: Olívia Santana e Niltinho adiam anúncio sobre quem será vice na chapa PCdoB e PP em Salvador

No último sábado (20), em uma tentativa de atrair holofotes para a postulante, o próprio governador Rui Costa (PT) apareceu em uma live promovida pelos canais de Denice no Facebook e YouTube. Grandes caciques do PT nacional, a exemplo do ex-ministro Fernando Haddad, gravaram vídeos para tentar dar peso ao evento. Entretanto, os números contabilizados falam por si: no Facebook de Denice, que conta com 1.621 seguidores, a transmissão teve 7 mil visualizações, 937 comentários e 112 compartilhamentos; no canal do YouTube, com apenas 509 inscritos, o resultado foi um pouco pior, registrando apenas 891 visualizações na transmissão com 1 hora e 20 minutos de duração até a noite desta quarta-feira (24) - quatro dias após a exibição. Salvador tem cerca de três milhões de habitantes.

"Cá entre nós, a impressão é de que foi muito fraco o evento", revelou um assessor parlamentar de um candidato do PT, em condição de anonimato, ao BNews. Também há críticas aos temas abordados por Denice na pré-campanha até o momento. A baiana tem centrado o debate em temas genéricos, como avaliações sobre o governo Bolsonaro, racismo e questões de gênero - dando pouca ênfase, por exemplo, para questões administrativas que impactam diretamente a gestão municipal. Permanece ainda o receito da militância com o histórico de Denice, projetada dentro da Polícia Militar da Bahia. O "PT raiz" não nutre grande admiração pela corporação...

É fato que a pandemia do novo coronavírus tem atrapalhado a campanha petista, uma vez que está impedido o "corpo-a-corpo" nas comunidades historicamente alinhadas ao PT. Os candidatos a vereador também encontram um desafio ainda maior neste ano, já que as coligações nas chapas proporcionais estão vetadas e cada partido precisará receber pelo menos 30 mil votos para conseguir cada cadeira no Paço Municipal.

Pesa a favor de Denice, no entanto, a possibilidade de adiamento das eleições e a militância que vota cegamente no PT independentemente de quem seja o cabeça de chapa. Militantes históricos avaliam que o partido sempre começa com 30% de votos garantidos em qualquer eleição.

Na última semana, a equipe da pré-candidata também reforçou o trabalho de assessoria, para melhorar a relação dela com os jornalistas. Desde que foi lançada como postulante, Denice tem se mostrado arredia quando abordada pela imprensa. O PT deve ainda usar e abusar de rostos conhecidos nacionalmente, incluindo o ex-presidente Lula, durante a campanha. Há também uma busca para reforçar campanha na TV, único instrumento de massa disponível durante a pandemia. Para isso, precisará atrair uma legenda robusta para a base e garantir mais minutos de exibição.

Isolamento político

Denice tem sido isolada pelos demais pré-candidatos. Olívia Santana, pré-candidata do PCdoB, já declarou que as conversas com o PT não avançaram. "O PT já escolheu a candidata dele", declarou ao BNews. Ela vai sair coligada com o PP. A pré-candidata Lídice da Mata (PSB), que negocia com o Podemos e a Rede, fez uma avaliação com uma crítica velada. "Se o PT já escolheu numa conferência, é um problema interno do partido. O fato de ela não ter uma militância partidária, não quer dizer que ela não tenha uma militância social. Eu particularmente acho que para um cargo dessa complexidade, seria interessante ter também uma militância partidária. Mas isso não impede ninguém de ser candidato", declarou, em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia na última segunda-feira.

O PSD lançou a pré-candidata Eleusa Coronel e está negociando com a base de Olívia e Lídice. Ao BNews, o senador Angelo Coronel manteve o discurso de "quem quer apoio tem estar aberto também a apoiar" ao ser questionado se a sigla poderia abrir mão da cabeça de chapa para apoiar alguma das três candidaturas.

A coluna Satélite, do jornal Correio, divulgou nesta semana que partidos da base de Rui estão tentando convencê-lo a desistir da candidatura da postulante. O principal argumento, segundo a publicação, é o de que a pandemia e o consequente alinhamento entre o Governo do Estado e a prefeitura, comandada por ACM Neto (DEM), tiraram a chance da petista construir seu nome. Defendem que Rui embarque de vez na campanha de Isidório. As próximas semanas podem trazer surpresas.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.

Leia os termos de uso

jusnews

Na Sombra do Poder

PodCast

Mais Lidas