Política

Novo relatório da PF contra Bolsonaro deve ser apresentado nos próximos dias

Marcos Corrêa / PR
O novo documento é sobre a suposta falsificação em cartões de vacina contra a covid-19 do ex-presidente  |   Bnews - Divulgação Marcos Corrêa / PR
Daniel Serrano

por Daniel Serrano

[email protected]

Publicado em 10/07/2024, às 11h34



Após a divulgação do relatório da Polícia Federal (PF) sobre a apropriação e venda ilegal de joias, um novo documento da PF contra o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) deve ser apresentado nos próximos dias. A informação é da coluna de Bela Megale, no jornal O Globo.

Inscreva-se no canal do BNews no WhatsApp

De acordo com a publicação, o próximo relatório deve tratar da suposta participação de Bolsonaro em um esquema de falsificação de fraude em cartões de vacina contra a Covid-19. O documento vem sendo elaborado a pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), que queria detalhes sobre pontos como se o ex-presidente e auxiliares usaram os cartões falsos nos EUA.

Um pedido ao governo estadunidense informações se Bolsonaro e auxiliares teriam utilizado os certificados falsos naquele país. Caso a informação tivesse sido confirmada, Bolsonaro poderia ter sido indiciado pelo crime de uso de documento falso. No entanto, a PF identificou que não há registo da apresentação do cartão de vacina nos EUA.

No final de 2022, quando Bolsonaro foi para o Estado Unidos, companhias costumavam verificar a regularidade do certificado em voos comerciais, por exemplo, sem manter qualquer registro.

Em voos de autoridades como o de Bolsonaro, que utilizou um avião da FAB, os passaportes e os comprovantes de vacinação eram checados na aeronave. Neste caso, a PF também não identificou registros sobre a apresentação dos documentos exigidos. No entanto, os investigadores acreditam que o ex-presidente e auxiliares entraram nos EUA com cartões falsos, já que conseguiram entrar naquele país.

Depois que a Polícia Federal apresentar o documento, PGR vai decidir se apresenta ou não a denúncia contra Bolsonaro.

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp