Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Polícia

Cauteloso, ACM Neto não descarta punição a senador flagrado com dinheiro nas nádegas; caso está no jurídico do DEM

[Cauteloso, ACM Neto não descarta punição a senador flagrado com dinheiro nas nádegas; caso está no jurídico do DEM]
15 de Outubro de 2020 às 11:41 Por: Dinaldo Silva / BNews Por: Nilson Marinho e Victor Pinto

O presidente nacional do DEM e prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), adotou um tom de cautela ao comentar o caso do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado pela Polícia Federal com dinheiro nas nádegas após operação na residência do congressista. O chefe do Executivo soteropolitano, após indagações do BNews nesta quinta-feira (15), afirmou que formalmente passou o caso para o jurídico do DEM analisar o inquérito e só a partir deste entendimento tomará medidas cabíveis, não descartadas punições. 

“Determinei, logo ontem a noite, quando passamos a ter conhecimento nacional do assunto, que o departamento jurídico do Democratas desse início a um acompanhamento permanente desse inquérito, queremos ter acesso a todos os detalhes. Já houve provocação formal minha ao jurídico do partido e, como sempre fizemos, caso haja comprovação do envolvimento do parlamentar em atos ilícitos vamos estabelecer todas as punições previstas no estatuto”, afirmou durante entrega de uma enconsta no bairro de Canabrava. 

Mais cedo o BNews noticiou, após consulta a fontes de Brasília, que o prefeito pretende, de primeira ora, proceder com uma suspensão do congressista, fato já tratado, inclusive, nesta reunião citada pelo prefeito e noticiada nesta manhã pela CNN Brasil.

O democrata, ainda na coletiva no bairro de Canabrava, afirmou não poder opinar em detalhes, pois tudo que se sabe foi o noticiado pelo imprensa, inclusive a posição de defesa do senador. “Não quero descreditar a imprensa não, mas precisa que o partido tenha acesso ao inquérito e isso já foi determinado. (…) Eu acompanhei pela imprensa o pronunciamento dele, dizendo que vai se explicar. Então, o adequado é que do jurídico do partido possa afazer o acompanhamento e tenha acesso aos detalhes do inquérito e isso determinamos que acontece”, disse.

O senador, que é vice-líder do governo Bolsonaro no Senado, entregou o cargo também nesta manhã após pressão do próprio Planalto. Interlocutores já haviam dito que, caso não deixasse a função, Bolsonaro o destituiria do posto. 

ENTENDA O CASO

Na quata-feira (14) foram cumpridos mandados de buscas no âmbito da Operação Desvid-19, autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), e que apura o desvio de recursos destinados ao combate da Covid-19 em Roraima.

Um dos locais que os mandados foram cumpridos foi na residência do senador e vice-líder do governo Bolsonaro, Chico Rodrigues (DEM), em Boa Vista. De acordo com a revista Crusoé, foram apreendidos R$ 30 mil no local.

No entanto, o que chama atenção são os detalhes escatológicos do acontecido. Segundo a publicação, parte do dinheiro foi encontrada pelos agentes de PF entre as nadégas do senador. Chico, que ganhou os holofotes por empregar Léo Índio — amigo pessoal de Carlos Bolsonaro — em seu gabinete, ainda não se pronunciou sobre o ocorrido. 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso