Política

Presidente do PDT-BA: ação contra Ciro 'parece autoritária e eleitoreira'

Divulgação

Ciro Gomes e seu irmão, o senador Cid Gomes (PDT-CE), foram alvo de mandados de busca e apreensão na manhã desta quarta-feira (15)

Publicado em 15/12/2021, às 16h02    Divulgação    Redação

O presidente do PDT na Bahia, deputado federal Félix Mendonça Júnior, se manifestou sobre a operação da qual foi alvo o pré-candidato a presidente e principal nome do partido, Ciro Gomes, na manhã desta quarta-feira (15).

A Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em endereços do presidenciável e do seu irmão, o senador Cid Gomes (PDT-CE).

Nas redes sociais, Félix Mendonça afirmou ser a favor de que qualquer denúncia de corrupção seja investigada. “Mas não podemos aceitar que a Polícia Federal seja usada como polícia política por um presidente da República. A ação que aconteceu hoje na casa de @cirogomes parece abusiva, autoritária e eleitoreira”, ponderou.

Leia também: Lula manifesta solidariedade a Ciro e Cid Gomes: “tiveram suas casas invadidas sem necessidade”

“Nós, do PDT”, continuou Félix, “estamos acompanhando de perto o desenrolar dos fatos e confiamos totalmente em @cirogomes, que não tem uma denúncia sequer de corrupção em sua biografia política e sempre se portou como homem público íntegro, correto e corajoso”.

A operação contra o líder pedetista faz parte de uma investigação sobre supostas irregularidades em obras da ampliação da Arena Castelão, principal estádio do Ceará, estado que foi governado por Ciro Gomes, para a Copa do Mundo de 2014.

Após a ação, o pré-candidato do PDT foi às redes sociais e fez críticas. Ciro chamou a operação de "abusiva" e disse que Jair Bolsonaro (PL) "transformou o Brasil num Estado Policial".

> Siga o BNews no Google Notícias e receba os principais destaques do dia em primeira mão

Classificação Indicativa: Livre