Salvador

Prefeitura divulga protocolo de volta às aulas; APLB rejeita presença de professores em escolas

[Prefeitura divulga protocolo de volta às aulas; APLB rejeita presença de professores em escolas]
30 de Abril de 2021 às 15:56 Por: BNews/Dinaldo Silva Por: Henrique Brinco

A Prefeitura de Salvador detalhou os protocolos de reabertura das escolas a partir da próxima segunda-feira (3). Segundo a gestão municipal, o retorno vai ocrrer de forma semipresencial tanto na rede municipal quanto na privada. A  Associação dos Professores Licenciados do Brasil – Secção da Bahia (APLB-BA), contudo, rejeita a presença de profissionais da educação nas escolas sem vacina.

O ano letivo será de 256 dias, divididos em quatro unidades. As escolas irão funcionar de segunda a sexta e os alunos vão comparecer em dias alternados. No dia em que os estudantes não tiverem aula presencial, haverá aulas on-line e pela TV, além de estudos dirigidos e atividades impressas.

 Segundo o prefeito Bruno Reis, até o início das aulas semipresenciais, 80% dos trabalhadores municipais da educação que atuam nas escolas terão tomado a primeira aplicação.  "Foram os investimentos expressivos na saúde e na vacinação, somados às medidas de isolamento social, que nos permitiu voltarmos às aulas na frente de muitas cidades", afirmou o gestor, nesta sexta-feira (30).

Além da medição de temperatura e maior cuidado com a higiene, há uma série de protocolos específicos para impedir a disseminação da Covid-19 na sala de aula, incluindo distanciamento mínimo de 1,5m entre as carteiras; para áreas comuns, com marcação de chão para bebedouros, banheiros e acesso aos refeitórios; para bebedouros, proibindo o uso do esguicho e adotando o uso de copos descartáveis ou individuais para consumo de água; para refeitórios/alimentação escolar, com redução do número de alunos por mesa, separando-os adequadamente, ou, caso não seja possível, será servida a merenda individualmente na sala de aula.  O atendimento aos pais dos diversos segmentos ocorrerá via e-mail, plataforma on-line, WhatsApp ou telefone.

APLB rejeita retorno
Procurado pelo BNews, o presidente da APLB-BA, Rui Oliveira, reforçou que não haverá aula presencial. "Estamos dizendo todo dia que não haverá aula presencial na Bahia. A Prefeitura pode dizer o que quiser, mas não tem aula presencial", disse. Segundo ele, os dias 3, 4 e 5 de maio as aulas serão remotas. "Se o prefeito não revogar o decreto, na quarta-feira a gente vai discutir greve", destaca.

Mais cedo, Bruno Reis declarou que não descarta cortar salário de professores que decidirem não retornar às salas de aula na próxima segunda-feira. "Não vou trabalhar no campo da futurologia. A gente decide com base em fatos concretos. A partir de segunda, com base na realidade, vamos avaliar e tomar nossas decisões", disse, ao ser questionado sobre um eventual corte, em entrevista ao programa Balanço Geral, da Record TV Itapoan.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar