Educação

Alunos da Uneb denunciam crise, falta de ar condicionado, déficit de material e ocupam reitoria da instituição

[Alunos da Uneb denunciam crise, falta de ar condicionado, déficit de material e ocupam reitoria da instituição]
03 de Abril de 2019 às 14:39 Por: Divulgação Por: Tamirys Machado

Os alunos da Universidade do Estado da Bahia, do Departamento de Educação (DEDC), relataram ao Bnews, a precariedade do Campus 1 da universidade. Conforme denúncias, desde o início do semestre os alunos têm que assistir aulas no calor, já que os ar condicionados estão quebrados. Falta ainda papel, copos descartáveis e impressão de xerox, considerada essencial para muitos estudantes. 

Ainda segundo estudantes dos cursos de pedagogia, ciências sociais e filosofia, há ainda atraso de salários dos funcionários terceirizados da instituição.  “Caos total. Desde o início do semestre que está nesse impasse. A direção não resolve. Pedimos ao reitor que interfira para que haja uma solução. Estamos apenas buscando soluções para termos o mínimo de dignidade ao assistirmos as aulas”, disse um dos estudantes que preferiu não se identificar. 

Os professores da instituição estão em Estado de greve, e podem decretar greve geral nesta quinta-feira (4). Professores e estudantes do Departamento de Educação do campus de Salvador, na tentativa de sensibilizar o governo do estado ocuparão o prédio da reitoria na tarde de hoje. O protesto terá início às 17h, desta quarta-feira (03). A Associação dos Docentes da Uneb (Aduneb) está na construção do movimento e dará o apoio necessário à ocupação.

Procurado pelo Bnews, a assessoria da Uneb não negou os fatos. Segundo a assessoria, o reitor está reunido nesta tarde com deputados estaduais na Assembleia Legislativa da Bahia para reivindicar alguns pleitos. Até o fechamento da matéria, a reunião não havia terminado e o reitor José Bites de Carvalho não prestou esclarecimentos ao site. 

Estado de greve 

Entre as pautas das reivindicações dos professores que pode levar as universidades à greve estão: 
 
- Destinação de, no mínimo, 7% da Receita Líquida de Impostos (RLI) do Estado da Bahia para o orçamento anual das universidades estaduais. Atualmente esse índice é de aproximadamente 5%;
 
- Reposição integral da inflação do período de 2015 a 2017, em uma única parcela, com índice igual ou superior ao IPCA;
 
- Reajuste de 5,5% ao ano no salário base dos docentes para garantir a política de recuperação salarial, referente aos anos de 2015, 2016 e 2017;
 
- Cumprimento dos direitos trabalhistas, a exemplo das promoções na carreira, progressões e mudança de regime de trabalho. Atualmente, só na Uneb, mais de 400 professores possuem seus direitos à promoção negados pelo Estado;
 
- Ampliação e desvinculação de vaga/classe do quadro de cargos de provimento permanente do Magistério Público das Universidades do Estado da Bahia.
 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar