Geral

Pedido de paz, protestos e vandalismo marcam manifestação em Salvador

[ Pedido de paz, protestos e vandalismo marcam manifestação em Salvador]
21 de Junho de 2013 às 09:33 Por: Caroline Gois (twitter: @goiscarol)
Paz e vandalismo. Assim foi marcado o movimento "Passe Livre" em Salvadaor, nesta quinta-feira (20). Pela segunda vez, os manifestantes foram às ruas da capital pedir melhorias no transporte público, "Não à PEC 37", melhorias na Saúde e Educação e o fim da corrupção.

Hoje, cerca de 58 mil pessoas se concentraram na praça do Campo Grande e de lá seguiram rumo à Arena Fonte Nova. Em frente ao Teatro Castro Alves (TCA) foi possível ver jovens, idosos, famílias inteiras unidas por uma só causa. Artistas também se engajaram na ação. Saulo, Levi e Tomate pintaram os rostos e saíram em apoio ao ato público. Mas, o que começou como um movimento pacífico, cujo intuito é reivindicar pelos direitos e reafirmar a democracia no país, foi manchado por um pequeno grupo que - contrário aos ideiais da maioria, não aceitou a reação da Polícia Militar em bloquear os caminhos que permitiriam os acessos à Arena.



Acompanhando o passo a passo dos manifestantes, a reportagem do Bocão News pôde observar a revolta de muitos diante da reação de alguns policiais que, no primeiro embate, lançaram bombas de gás lacrimogênio contra os manifestantes. Em nota, a PM informou que "a utilização de granadas fumígenas com agente químico CS (gás lacrimogêneo), por integrantes da Corporação atendeu a necessidade de garantir a proteção das pessoas e do patrimônio público e privado". A PM ratificou ainda que as ações desenvolvidas estão em consonância com os padrões técnicos e legais do uso progressivo da força.



 


Durante o confronto, gritos, tiros de bombas de borracha, revolta de uns e destruição cometida por outros. Pontos de ônibus destruídos, veículos incendiados e loja arrombada e saqueada. A polícia ainda não divulgou o número de presos pelos atos de vandalismo. Estes foram encaminhados para a 1ª delegacia, localizada nos Barris.



Quando o movimento cessou, foi possível observar um cenário de guerra - equipamentos explosivos pelo chão, pedras, fagulhas de lixos que foram incendiados, carro destruído, pedaços de pau e vidraças.

Mas, para os quase 60 mil que caminharam com as caras pintadas e a bandeira nacional emaranhada ao corpo ecoando a cada passo gritos de "Pra Fonte Nova", "Chega de Corrupção", juntamente com a letra do hino nacional - o ato representou a força da liberdade de expressão e da democracia.




Hoje, as manifestações também tomaram conta de outras cidades como Brasília, São Paulo, Rio e Recife. Em mais um dia, o país parou para ouvir as milhões de vozes, questionadas ainda por qual motivo, de fato, protestam. Ao lado dos manifestantes, é fácil compreender e encontrar a resposta: "Por um Brasil melhor".

Postada às 20h33 do dia 20 de junho


Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar