Salvador

Advogado de patroa acusada de agredir babá que se jogou de prédio no Imbuí deixa caso

Reprodução/TV Bahia

Mulher teria mantido funcionária em cárcere privado

Publicado em 01/09/2021, às 17h23    Reprodução/TV Bahia    Redação BNews

A defesa de Melina Esteves França, investigada por agredir e manter uma funcionária em cárcere privado, informou que renunciou ao caso. De acordo com o G1, o advogado da mulher comunicou a decisão por meio de nota, mas não detalhou o motivo da saída. O caso teve início no dia 25 de agosto, após Raiana Ribeiro, de 25 anos, babá das filhas da acusada, se jogar do terceiro andar de um prédio no bairro do Imbuí, em Salvador, para se livrar das supostas agressões que vinha sofrendo da patroa. 

Pouco tempo antes de pular da janela do apartamento da suspeita, a vítima chegou a pedir socorro aos seus familiares por meio de um aplicativo de mensagem, mas teve seu celular confiscado pela patroa. Trancada no banheiro do imóvel, Raiana acabou decidindo pular do prédio pela janela. Em razão da queda, a jovem sofreu fraturas no pé e precisou ser internada no Hospital Geral do Estado (HGE).

Leia mais:
Prefeitura de Itanagra oferece acompanhamento psicológico e jurídico à babá que pulou de prédio no Imbuí
Número de babás que teriam sido vítimas de ex-patroa já chega a 11; outras 2 estariam com medo de denunciar
Olívia pede ação do MPT em caso de doméstica: 'Classe média e alta burguesia acham que estão no século 18'

Além de Raiana, outras 11 mulheres que teriam trabalhado para Melina prestaram depoimento acusando a suspeita de algum tipo de agressão.

No último domingo (29), um grupo de manifestantes se reuniu na porta do prédio onde a babá pulou do terceiro andar para pedir Justiça pelo caso. Nesta quarta-feira (1º), foi a vez de trabalhadores domésticos protestarem no mesmo local onde a investigada mora e foi vaiada por vizinhos após retornar de depoimento à polícia na última quinta-feira (26).

Acompanhe o BNews no Instagram e no Facebook!

Classificação Indicativa: Livre