BNews Pet

Especialista alerta para transmissão da psitacose por aves; sintomas coincidem com gripe

Divulgação / Viveiro Cecropia Geral

O diagnóstico é baseado na associação do exame clínico e laboratorial

Publicado em 09/03/2021, às 14h12    Divulgação / Viveiro Cecropia Geral    Adelia Felix

A psitacose, também conhecida como febre dos papagaios ou clamidiose, é uma doença altamente infecciosa causada pela bactéria Chlamydia psittaci. As principais fontes de transmissão da bactéria são as aves psittaciformes, uma ordem que inclui, papagaios, araras, cacatuas, periquitos, entre outros.

Segundo o médico veterinário Fernando Oliveira, as formas mais comuns de transmissão da doença para humanos acontecem através do contato com fezes das aves contaminadas pela bactéria, inalação do pó presente nas penas desses animais e secreções respiratórias. Eventualmente, as aves também podem infectar as pessoas por meio de mordidas e contato direto boca a bico.

Por causa disso, o especialista faz algumas recomendações para tutores e profissionais que trabalham com aves. “Deve limpar o local todos os dias porque quando as fezes secam, deixam as partículas que podem levadas pelo vento e inaladas por seres humanos”, explica.

O veterinário também alerta que o espaço da casa onde o animal fica seja arejado e telado. “Porque hoje é muito grande a perda dessas aves. Elas se assustam, batem as asas e saem de casa. Além disso, é importante manejo no corte das penas para que eles não venham se assustar, voar e ir embora”, indica.

Os sintomas da psitacose em humanos podem, inclusive, ser confundidos com uma gripe comum ou pneumonia. Os infectados comumente apresentam febre alta, dor de cabeça e tosse seca. O quadro também pode incluir dificuldade para respirar, calafrios, aumento do baço e do fígado, fraqueza, lesões na pele, e até delírios quando a bactéria chega ao sistema nervoso.

As aves infectadas não apresentam necessariamente sintomas. Podem até ser portadoras da bactéria por meses até que apareçam os primeiros sinais. Nos animais, é possível notar tremores, dificuldade para respirar, secreção nos olhos ou nariz, diaarréia, sonolência, perda de peso e apetite.

O diagnóstico é baseado na associação do exame clínico e laboratorial. Na maioria dos casos, o quadro de psitacose é brando em humanos. Mesmo em quadros agressivos, o tratamento adequado leva à recuperação total. Com antibiótico apropriado, a taxa de mortalidade da psitacose é menor que 1% no país. 

Classificação Indicativa: Livre