Brasil

Praia brasileira está entre 10 lugares no mundo com mais mortes por selfie; saiba qual é

Reprodução/YouTube/ Viva e Tudo Mais

Após a divulgação da informação, a prefeitura de município brasileiro emitiu nota de repúdio sobre informação, e disse que uma único morte com essas circunstâncias foi registrada no local

Publicado em 30/10/2021, às 16h22    Reprodução/YouTube/ Viva e Tudo Mais    Redação BNews

A praia do Costão da Ponta do Vigia, localizada na cidade de Penha, no Litoral Norte de Santa Catarina, é a única localidade brasileira a figurar em uma lista dos dez locais com mais mortes no mundo por causa de selfies.

De acordo com o site da revista Marie Claire, informações publicadas pela revista Journal of Travel Medicine apontam que a praia catarinense está entre os locais com mais mortes em tentativas de selfies no mundo.

A praia figuara ao lado das cataratas do Niágara, o Glen Canyon (EUA), o Charco del Burro (Colômbia), a catarata de Mlango (Quênia), os montes Urais (Rússia), o Taj Mahal, o vale de Doodhpathri (ambos na Índia), a ilha Nusa Lembongan (Indonésia) e o arquipélago de Langkawi (Malásia).

A mesma reportagem citava pesquisa da Fundação iO, especializada em Medicina Tropical e do Viajante, realizada entre janeiro de 2008 e julho de 2021. O levantamento revelou que cerca de 379 pessoas morreram enquanto tentavam tirar a selfie perfeita no período.

Durante os sete primeiros meses de 2021, foram registrados 31 acidentes fatais por esse motivo no mundo.

De acordo com essa pesquisa, o Brasil é o quinto país com mais mortes por selfie, com 17 casos. Após a divulgação da informação, a prefeitura de Penha emitiu uma nota de repúdio, informando que o município só tem um único caso registrado no município.

O site Metrópoles recorda que em janeiro deste ano, a professora Soliane Luiza perdeu a vida após cair de altura de aproximadamente cinco metros, enquanto tirava fotos de si mesma na praia do Costão da Ponta do Vigia. O irmão da vítima, que registrava o momento, presenciou a queda.

Ainda segundo a Fundação iO, entre os casos, em primeiro lugar, estão as quedas de cataratas, precipícios e telhados, que totalizaram 216 mortes.

Em seguida, estão acidentes com meios de transporte, afogamentos, armas de fogo, eletrocussões e tentativas de fotos com animais selvagens. A faixa etária mais frequente são adolescentes de até 19 anos e também jovens entre 20 e 29 anos.

Até hoje, os países que mais registraram morte são: Índia, com 100 casos, Estados Unidos, com 39, e Rússia, com 33 vítimas.

Leia Também

Ferry-boat, lanchas e ônibus intermunicipais funcionam em esquema especial no feriadão de Finados

Portugal renova liberação de viagens do Brasil por mais um mês

Governo autoriza volta dos cruzeiros marítimos no Brasil

Classificação Indicativa: Livre