Coronavírus

Psicóloga dá dicas para manter a saúde mental durante a quarentena

Roberto Viana/BNews

Isolamento social pode piorar crises de ansiedade e depressão

Publicado em 22/03/2020, às 17h08    Roberto Viana/BNews    Redação BNews

Lidar com a solidão do isolamento e quarentena, durante a pandemia do coronavírus, pode ser muito desafiador para pessoas que sofrem de ansiedade, depressão, ou idosos que precisam do auxílio de outras pessoas.

A restrição do contato social pode agravar alguns transtornos, por isso é tão importante que se tome medidas para minimizar os impactos psicológicos dessa fase.

Segundo a psicóloga comportamental, Daniella Montal, tentar ensinar aos idosos a como usar aparelhos tecnológicos, a exemplo do smartphone, é uma medida muito importante, para que eles consigam se comunicar com outras pessoas.

“Se o idoso deprimir, ele vai acabar tendo que usar os hospitais, o que vai piorar ainda mais o quadro”, alertou a profissional, em entrevista ao BNews,

Veja outras dicas importantes para sobreviver à quarentena, mantendo a saúde mental:

Ter uma rotina diária
Segundo a especialista, mesmo sem sair de casa, é importante manter uma rotina, principalmente para os idosos. “Uma boa opção é praticar atividade física em casa”, sugere.

Manter-se no agora
Focar a mente no que está vivendo agora é importante para controlar a ansiedade. “Quem tem a Síndrome Pensamento Acelerado pode enfrentar o medo da morte. É importante trazer a mente para o agora. Sabemos que a pandemia terá uma duração. Precisamos nos precaver, cuidar de nós, mas sem entrar no viés do pânico. Quem tem o pensamento acelerado costuma já pensar na morte”, alerta.

Técnicas de respiração
De acordo com Daniela, a respiração oxigena o cérebro e reduz velocidade dos pensamentos, gerando um comportamento mais lúcido. Segundo ela, é possível realizar essa técnica pela manhã, à noite e em situações emergenciais. “Ao acordar, fique de pé, respire, ficando nas pontas dos pés e expire colocando de volta o calcanhar no chão. Os idosos podem fazer essa técnica sentados, segurando o diafragma, com cinco repetições”, ensina. Também é possível investir em técnicas de meditação, yoga, além de florais e chás naturais, como os de camomila, melissa e lavanda. “A ansiedade muitas vezes gera a falta de ar, o que pode fazer com que a pessoa ache que está com sintomas do coronavírus”, pontua.

Exercitar a criatividade
Com o impacto na economia, muita gente está preocupada com o desemprego e fechamento das empresas. “Vamos viver o agora. Depois que a gente sai de uma crise, sempre aparecem estratégias de enfrentamento aos problemas que ela traz. Desespero não dá lucidez. O importante é manter a tranquilidade na rotina e tentar ser criativo”, observa.

Buscar atendimento psicológico online
Durante a quarentena, muitas clínicas estão disponibilizando serviços online, via Skype. “Alguns planos de saúde ainda estão resistentes em aderir a esse novo formato, mas é importante para não deixarem os pacientes à deriva", ressalta. De acordo com a psicóloga, o Conselho Regional de Psicologia Bahia da Bahia também está oferecendo contato telefônico, até o dia 31 de março, oferecendo apoio emocional por profissionais voluntários, gratuitamente, com a duração de 20 minutos. Em Salvador, a instituição atende pelo telefone (71) 3019-9208.

Classificação Indicativa: Livre