Justiça

Engenheiro que matou jornalista no réveillon e tentou suicídio é condenado na Bahia

Reprodução/Redes Sociais
Crime cometido pelo engenheiro aconteceu em dezembro de 2021  |   Bnews - Divulgação Reprodução/Redes Sociais

Publicado em 08/06/2024, às 07h24 - Atualizado às 07h29   Pedro Moraes



Quase três anos depois de matar a esposa a tiros, o engenheiro Reges Amauri Krucinski conheceu seu destino nos próximos anos. Ele foi condenado a 27 anos de prisão em regime fechado. A vítima, identificada como Juliana Krucinski, morreu na noite de réveillon, no dia 31 de dezembro de 2021.

Inscreva-se no canal do BNews no WhatsApp. 

Relembre o caso

À época, a jornalista recebeu três tiros na região da cabeça e um no tórax. O caso aconteceu em Porto Seguro, no sul da Bahia. Os disparos aconteceram em meio a uma briga, conforme relatado pelos vizinhos do casal, segundo informações da TV Santa Cruz. 

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) esteve no local, mas Juliana já estava morta. Reges, que também foi encontrado no local do crime, estava com marcas de sangue.

No período do fato, Reges possuía registro de posse de arma entregue pela Polícia Federal (PF), como atirador esportivo e colecionador de armas. Na casa do casal, uma pistola 380, um revólver 357, uma espingarda 12 e 160 munições de vários calibres foram encontrados. 

Após ser preso, o engenheiro tentou tirar a própria vida dentro da delegacia, porém não conseguiu. 

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp