Cultura

"Temos que reconhecer que a pandemia está sob controle", diz Tinoco sobre Carnaval

Divulgação

Debate sobre realização de festas movimentou Câmara Municipal de Salvador

Publicado em 19/10/2021, às 15h58    Divulgação    Henrique Brinco

A Câmara Municipal de Salvador promoveu uma audiência pública ampla, nesta terça-feira (19), para debater a realização do Carnaval e de festas populares em 2022. O evento foi promovido  pela Comissão Especial de Acompanhamento da Retomada de Eventos do legislativo e contou com representantes dos mais diversos setores.

"Somos sensíveis a todos os indicadores e todos os 600 mil mortos nestes quase dois anos. [...] Esses indicadores, por mais que se mantenham em queda, terão atenção da Câmara Municipal de Salvador", declarou o presidente da comissão, vereador Claudio Tinoco (DEM-União Brasil), que é ex-secretário de Cultura e Turismo da capital. O edil, contudo, avalia que os índices estão se normalizando. "Temos que reconhecer que a pandemia está sob controle", completou.

Leia também:

Durante a audiência, foram trazidos dados do impacto que a pandemia trouxe para o setor de eventos, turismo e entretenimento. Ao todo, 97% do setor de eventos foi paralisado no Brasil, perdendo-se 450 mil empregos e R$ 90 bilhões em 2020. Ainda segundo os números, 97% da população de Salvador já se encontra vacinado com pelo menos uma das doses dos imunizantes. "Só não está vacinado em Salvador quem não quer", ressaltou o vereador.

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), garantiu recentemente que a decisão sobre a realização ou não do Carnaval neste ano será tomada até o final do mês de outubro. O gestor afirmou que a prefeitura vai avaliar o avanço da vacinação "com toda cautela e prudência". "Estamos confiando que a vacina vai permitir à gente viver como nós vivíamos antes. Essas festas que já foram anunciadas, elas estão apostando que, daqui para lá, pelo menos terão ampliação dos públicos para a sua realização", declarou.

Acompanhe o BNews também nas redes sociais, através do Instagram, do Facebook e do Twitter

Classificação Indicativa: Livre