Denúncia

Vídeo: Família de homem em estado gravíssimo apela por transferência para UTI

Leitor BNews

Sampaio precisa de uma cirurgia urgente para a retirada de líquido da bexiga e hemodiálise o mais rápido possível

Publicado em 19/09/2020, às 18h15    Leitor BNews    Redação BNews

Familiares de um homem que está internado em estado gravíssimo no Hospital Albino Leitão, em São Sebastião do Passé, estão desesperados com a demora na regulação dele para uma UTI e decidiram pedir a ajuda do apresentador José Eduardo. Em um vídeo enviado ao BNews, a filha, a irmã e uma amiga delas contam sobre os tratamentos necessários para tentar salvar Nivaldo dos Santos Sampaio.

O paciente está com suspeita de câncer na medula, além de insuficiência cardíaca, anemia severa, edema agudo no pulmão e insuficiência renal aguda grave, entre outros problemas. Segundo a família, Sampaio precisa de uma cirurgia urgente para a retirada de líquido da bexiga e hemodiálise o mais rápido possível.

O risco de morte é iminente e, há mais de 10 dias, o hospital tenta uma vaga em uma unidade de saúde especializada que possa atender com todos os aparatos necessários o caso deste paciente.

A Secretaria estadual da Saúde informou que o perfil de Sampaio é hematológico e os hospitais Santa Izabel e Aristides Maltez, cujo contrato é com a prefeitura de Salvador, não estão ofertando vagas no volume suficiente para atender a rede.

"O mesmo acontece com o Hospital das Clínicas (Hupes), que se trata de uma unidade federal e a despeito do Estado da Bahia ter oferecido por diversas vezes recurso e empréstimo de medicamentos, a unidade não consegue ampliar a oferta de leitos. As três unidades são as únicas referências para as doenças oncológicas do sangue e, devido a situações como a citada, o próprio secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, solicitou que o Ministério Público do Estado, por meio do procurador da Saúde, Rogério Queiroz, se envolvesse e cobrasse explicações dos diretores e mantenedores das unidades em questão", destacou a Sesab.

O órgão cita também que o paciente possui uma série de comorbidades, inclusive fratura na coluna. "A Central Estadual de Regulação continua em busca de uma vaga para o perfil do paciente", acrescentou.

Classificação Indicativa: Livre