Economia e Mercado

Rio Vermelho vira deserto com ampliação do toque de recolher: ‘em 41 anos vendendo bebidas, nunca passei por isso’

Dinaldo Silva/ BNews

Com medo que o governo decrete o lockdown, a ambulante pediu que as pessoas fiquem em casa e cumpram as determinações sanitárias para que a situação volte à normalidade o mais rápido possível

Publicado em 22/02/2021, às 21h22    Dinaldo Silva/ BNews    Henrique Brinco e Márcia Guimarães

Há 41 anos comercializando bebidas no Largo de Santana, no Rio Vermelho, ao lado do tradicional acarajé da Dinha, a ambulante Merialda Assis diz que nunca passou por uma situação tão difícil como a que está enfrentando agora com as restrições impostas por causas do coronavírus. 

“Eu não esperava essa ampliação do toque de recolher, sinceramente. Estou arrasada! A classe que mais está sofrendo é o ambulante. As vendas despencaram. Como se sustentar se chegamos 14h e temos que recolher tudo 18h?. Em 41 anos aqui, nunca passei por isso”, desabafou Merialda. 

Com medo que o governo decrete o lockdown, ela pediu que as pessoas fiquem em casa e cumpram as determinações sanitárias para que a situação volte à normalidade o mais rápido possível. “Senão é daí pra pior, meu medo é fechar tudo”, frisou a ambulante.

O BNews esteve no Largo de Santana, e, por volta das 18h50, o local parecia um deserto. A partir de hoje e até domingo (28), bares e restaurantes devem ficar fechados a partir das 18h.


Classificação Indicativa: Livre