Economia & Mercado

Evento debate aproximação econômica do Brasil com a Europa

Divulgação
Bnews - Divulgação Divulgação

Publicado em 30/06/2024, às 12h17 - Atualizado às 17h17   Redação BNews



A Executiva de Logística Portuária, Patrícia Iglesias, foi convidada para participar do Fórum Internacional Brasil Europa (FIBE), que foi realizado em Lisboa, nos dias 24 e 25 de junho. O evento tem como objetivo fomentar debates, eventos e estudos para promover a aproximação cultural, econômica e social do Brasil com a Europa, em especial com Portugal e demais países da comunidade de países de língua portuguesa.

Inscreva-se no canal do BNews no WhatsApp 

Patrícia Iglesias foi convidada para debater sobre a importância de investimentos para a Economia do Mar, no momento em que a tributação pode ser um entrave para o desenvolvimento do setor no âmbito nacional. O diálogo tem como foco compreender como a tributação, o investimento e a economia do mar se interconectam e influenciam diretamente o crescimento e a competitividade dos portos brasileiros, fundamentais para as exportações do país.

Além de Patrícia Iglesias, também devem participar dos debates ao lado de autoridades políticas e acadêmicas de Brasil e de Portugal, como o ministro do STF, Gilmar Mendes; os senadores Ângelo Coronel e Wellington Fagundes; o diretor no Departamento de Economia da OCDE, Luiz de Mello; entre outros.

“Não consigo aceitar o motivo de Portugal não ser a porta de entrada de muitos produtos Brasileiros, sejam eles manufaturados ou acabados e uma vez em solo Europeu ser distribuído partindo do nosso irmão de língua, uma vez que Portugal pertence à União Europeia, sabe das necessidades e exigências, podendo nos apoiar, aumentar capilaridade e também competitividade. Portugal detém tecnologia e cadeira nos fóruns europeus, e no Brasil temos as riquezas que o mundo atual almeja. O futuro, que já é presente, mostra o caminho de uma união entre esses povos irmãos”, falou Patrícia Iglesias a uma seleta plateia de autoridades, dentre elas o Ministro Gilmar Mendes e o senador Wellington Fagundes.

Além disso, setores como pesca, aquicultura, turismo costeiro e marítimo oferecem oportunidades significativas de desenvolvimento local, especialmente em comunidades costeiras, além de atraírem receitas por meio do turismo.

Nesse momento, em especial na construção de um modelo tributário que deixa de utilizar incentivos fiscais regionais, o que altera o poder dos governos subnacionais, o investimento do setor portuário em infraestrutura para escoamento será o principal motor de atratividade para a economia, com redução de custos logísticos e favorecimento do comércio interno e da distribuição equitativa de riqueza. Ambas acreditam que a economia do mar não só alivia as pressões fiscais no pós-reforma tributária, mas também cria um ciclo virtuoso de desenvolvimento equilibrado e resiliente, beneficiando toda a sociedade.

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp