Economia e Mercado

Alta no preço do arroz pode superar 40% na Bahia, avalia associação

[Alta no preço do arroz pode superar 40% na Bahia, avalia associação]
11 de Setembro de 2020 às 14:50 Por: Pixabay Por: Henrique Brinco

O presidente da Associação Baiana de Supermercados  (Abase), Joel Feldman, acredita que a alta no preço do arroz pode superar 40% no Estado. Ele explica que o aumento acontece na última semana e só irá refletir nos índices da próxima leitura, assim como outras categorias. Para a associação, o aumento está ligado a três fatores: aumento das exportações em virtude da desvalorização do Real; menor disponibilidade do produto no mercado interno; e aumento do consumo, em virtude do benefício federal para as famílias brasileiras, gerando maior poder de consumo.

"Perceba que o setor de supermercados não tem nenhuma gestão sobre estes fatores, ao comprar o arroz da indústria, cabe apenas ao supermercado repassar o aumento", avalia. "Estamos em um momento crítico de elevação de diversos produtos, inclusive com o provável desabastecimento, a exemplo do Óleo de Soja que alcançou está semana o maior preço da sua história, ainda assim, provavelmente faltará em diversas redes de supermercados", ressalta, ao BNews.

Ele defende que "ações governamentais podem agir para equilibrar os custos frente a indústria brasileira". "A exemplo da redução dos impostos de importação que está em andamento para que o Brasil possa importar arroz sem a tributação onerosa que possibilite chegar ao supermercado com preços compatíveis com a média histórica", declarou.

Durante uma live nesta quinta-feira (10),  o presidente Jair Bolsonaro disse que o ministro da Justiça, André Mendonça, pediu e ele autorizou a abertura de uma investigação sobre o aumento do preço do arroz. "O André Mendonça veio falar comigo e perguntou: 'Posso botar a Secretaria Nacional do Consumidor para investigar por que o preço subiu?" Eu falei que pode e ponto final. Isso porque, ao chegar a resposta, pode ser que o errado somos nós. Aí o governo toma providência", declarou.

Na quarta, a Secretaria Nacional do Consumidor, vinculada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, notificou representantes de produtores de alimentos para esclarecer o aumento dos preços dos produtos que compõem a cesta básica. No mesmo dia,  o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) afirmou relacionou a alta no preço do arroz ao auxílio emergencial de R$ 600 distribuídos pelo Governo Federal. Segundo ele, a inflação se dá pela lei da "oferta e da procura".

Leia também: Após preço do arroz disparar, Governo zera imposto de importação

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar