Educação

"Não podemos mais esperar", diz secretário de Educação sobre crítica da APLB ao retorno às aulas

Vagner Souza/BNews

As atividades foram retomadas nesta segunda de maneira 100% presencial

Publicado em 18/10/2021, às 09h56    Vagner Souza/BNews    Redação Bnews

O anúncio do retorno às aulas nesta segunda-feira (18), dessa vez 100% presencial, mais uma vez não foi bem vista pela APLB (Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Estado da Bahia) que classificou a volta das atividades como “precoce”. 

O secretário estadual da Educação, Jerônimo Rodrigues, por sua vez, diz que o setor não pode mais esperar e que os jovens precisam retornar às aulas, mesmo que a maior parte deles não tenha tomado a segunda dose da vacina contra a Covid-19.

"Primeiro a APLB reivindicou a primeira e segunda dose dos professores e mais 15 dias, hoje, não temos mais professores na rede estadual que não tenha tomado as duas doses, a rede de professores está toda vacinada. Agora, querem os estudantes, mas não temos como esperar”, comentou o secretário nesta segunda, em entrevista ao apresentador José Eduardo, na rádio Metrópole.

"[...] Estamos encontrando crianças com dificuldade de fala  e de relacionamento porque elas não se encontraram com as suas turmas. Nós vamos preservar as vidas, ter cuidado com a saúde, mas vamos ter que pagar essa conta [da suspensão das aulas presenciais]”, completou Jerônimo.

Em entrevista ao jornal A TARDE, Rui Oliveira, presidente da APLB-BA, disse que a decisão do governador Rui Costa (PT) de autorizar as aulas foi "totalmente equivocada", já que a pandemia de Covid-19 não está "completamente controlada".

"Nós achamos que é uma precipitação, da mesma forma que combatemos o prefeito Bruno Reis, dizemos que o governador está totalmente equivocado", disse.

Matérias relacionadas:

Pandemia deixou as crianças mais irritadas e ansiosas; especialista explica como ajudar os pequenos

Governos estaduais reduzem gastos com educação apesar de aumento de receita

Covid-19 atinge mais de mil alunos no primeiro mês de volta às aulas em SP

Classificação Indicativa: Livre