Entretenimento

Atriz de Pantanal afirma clima de romance com Marcos Palmeira nos bastidores: "Desejo reprimido"

Reprodução  / Rede Globo

Atriz de Pantanal explicou que precisou esclarecer tudo antes de um mal entendido

Publicado em 28/05/2022, às 17h51    Reprodução / Rede Globo    Redação

A primeira versão de Pantanal, exibida pela extinta TV Manchete, foi o maior sucesso durante o ano de 1990. Naquela época, Marcos Palmeira interpretou Tadeu, o capataz da fazenda ao lado. Mas, também no mesmo núcleo, tinha a Zefa (Giovanna Gold).

Em conversa ao site Notícias da TV, a atriz comentou que os dois tiveram uma tensão amorosa nos bastidores e durante as cenas de romance. "Entre nós, rolou um momento romântico na estufa de plantas do estúdio. Nos declaramos, mas ambos estavam namorando", iniciou.

Leia mais sobre Pantanal:
Ator de 'Pantanal' se declara para colega de cena e aumenta especulações sobre romance
Galã de ‘Pantanal’ faz revelação inusitada sobre sua sexualidade; confira
Globo comete erro estratégico com estreia de “Pantanal”; entenda

Ela afirmou que não conseguiu ir adiante com o fogo da paixão com Marcos Palmeira e preferiu manter apenas a amizade. "Eu adorava a namorada dele, ele adorava meu namorado. Então achamos melhor deixar só em cena. Deu certo. Era o desejo reprimido daqueles personagens", falou.

Os atores Giovanna Gold e Marcos Palmeira com rostos colados, lado a lado, sorrindo para foto de divulgação de Pantanal em 1990

(Imagem: Reprodução / TV Manchete)

Apesar de contracenar com ele na novela, os dois já eram velhos conhecidos na época do colégio. "Era um garoto que se diferenciava dos outros porque ele tinha morado com os índios. Era único. Era filho de cineastas. Por isso ele chamava minha atenção. Nem nunca falei com ele na escola", contou.

Ainda sobre a relação nos bastidores, Giovanna afirmou que atualmente fala do ator apenas com um grande carinho e afeto. "Anos depois, fizemos um trabalho juntos, e apenas na cena final tivemos a oportunidade de conversar sobre esse desejo platônico. Se alguém falar mal de mim para ele, não sei se ele seria leal", disse ela.

"Leal ao que sinto, à legitimidade do meu sentimento. Se vierem falar mal dele, digo: 'Na-ã, nem fala, isso me entristece'. Gosto de quem gosta de mim. Vou aonde a vida me é fértil", finalizou. 

Siga o BNews no Google Notícias e receba os principais destaques do dia em primeira mão!

Classificação Indicativa: Livre