Geral

Homem é acusado de racismo após declarações em biblioteca: "não gosto de negros"

Reprodução/Instagram

No vídeo, o homem faz diversas declarações racistas e homofóbicas

Publicado em 03/08/2022, às 07h20 - Atualizado às 07h45    Reprodução/Instagram    Redação BNews

Mais um caso de racismo e homofobia ganhou repercussão nas redes sociais. Desta vez, ocorreu em meio a Biblioteca Mário de Andrade, no bairro da República, em São Paulo, nesta terça-feira (2). Na ocasião, um homem identificado como Wilho da Silva Brito foi filmado dando diversas declarações contra pessoas negras e homossexuais. Segundo a Polícia Civil, ele foi preso em flagrante pela polícia por volta das 13h.

“Não gosto de negros, a cultura deles é uma bost*”, disse o homem.  Apontado como racista pela pessoa que filma as imagens, ele reage: “eu não gosto de negro, quem gosta de macaco é zoológico”, declarou. Ainda durante a gravação das imagens, o homem continua ressaltando que não gosta de pessoas negras.

Ele carregava os livros "Minha Luta", de Adolf Hitler, e "Uma breve história do tempo", de Stephen Hawking. O homem chegou a ser repreendido por uma funcionária do espaço público e por um homem que grava toda a ação. Ele foi advertido de que racismo é crime, mas mesmo assim atacou pessoas negras, incluindo sua cultura, e os associou a dependentes químicos e traficantes.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o investigado foi preso em flagrante por injúria racial e pelo crime de preconceitos de raça ou de cor, o racismo. Ele ficará à disposição da Justiça e deve passar por uma audiência de custódia, que deve definir se ele responderá ao crime em liberdade ou se ficará preso preventivamente.

Assista ao vídeo:

Siga o TikTok do BNews e fique por dentro das novidades.

Classificação Indicativa: Livre