Geral

Se comer, não dirija! Álcool detectado em pães de forma pode gerar problemas com bafômetro

Reprodução//Imagem de Sofia Terzoni por Pixabay
Teor de álcool no pão pode gerar flagrante por embriaguez ao volante  |   Bnews - Divulgação Reprodução//Imagem de Sofia Terzoni por Pixabay
Mariana De Siervi

por Mariana De Siervi

[email protected]

Publicado em 10/07/2024, às 16h42 - Atualizado às 16h52



Algumas marcas de pão de forma contêm um teor de álcool comparável ao de bebidas alcoólicas, é o que revelou um estudo da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste). As informações são do O Antagonista. 

Inscreva-se no canal do BNews no WhatsApp

Na pesquisa, em três das marcas analisadas o teor de álcool no pão pode gerar flagrante por embriaguez ao volante. Ao todo, dez marcas que são vendidas no mercado brasileiro, foram analisadas e seis delas tem uma quantidade de álcool que poderiam classificá-las como bebidas alcoólicas, se tal classificação existisse para alimentos. 

A marca Visconti apresentou um teor de álcool de 3,37%, enquanto a marca Bauducco registrou 1,17% e no Brasil considera bebidas com 0,5% de teor alcoólico , limite significativamente inferior aos valores encontrados nos pães. 

Confira as marcas e quantidade de álcool medida: 

Bauducco: 1,17

Visconti: 3,37

Panco: 0,51

Plusvita: 0,16

Seven Boys: 0,50

Wickbold 5 zeros: 0,89

Wickbold Leve: 0,52

Wickbold SG: 0,66

Wickbold: 0,35

Pullman: 0,05

ORIGEM DO ÁLCOOL NO PÃO DE FORMA

Durante o processo de fermentação, que faz o pão crescer, produz naturalmente álcool, que é eliminado durante o processo de cozimento. Com isso, a Proteste sugeriu que o teor alcoólico encontrado nesses produtos, se deve ao uso de conservantes anti-mofo dissolvidos em álcool. 

Veja também: 

Álcool é responsável por 2,6 milhões de mortes todos os anos no mundo, alerta OMS

Bebidas alcoólicas serão ‘barradas’ em locais de competição nas Olimpíadas 2024

O uso desse anti-mofo é para aumentar a duração dos pães industrializados, com objetivo de evitar perdas e mofo, já que estudos mostraram que cerca de 10% da produção de pães no Brasil é perdida por isso. 

RISCOS PARA MOTORISTAS

O limite de álcool estabelecido pela legislação brasileira durante o teste de bafômetro é de 0,04 mg/l, sendo que os níveis entre 0,05 mg/l e 0,33 mg/l são considerados infração gravíssima e valores maiores são considerados crime de trânsito. 

A partir disso, Proteste avaliou o risco de um motorista exceder esse limite após consumir duas fatias de pão de forma e como dito anteriormente, três marcas apontaram risco. 

São elas: 

Visconti: 1,69

Bauducco: 0,59

Wickbold 5 zeros: 0,45

Ao portal G1, algumas empresas se manifestaram sobre a situação. A Bauducco e a Visconti afirmaram que seguem com rigor os padrões de segurança alimentar e que possuem certificação BRCGS, referência global em boas práticas na indústria alimentícia.

Já a Panco declarou não conhecer a metodologia do estudo da Proteste e que não utiliza etanol na fabricação de seus produtos, mesmo que resíduos não intencionais possam ocorrer durante a fermentação. 

O Grupo Wickbold também se manifestou. Ela representa a marca Seven Boys e reafirmou seu compromisso com protocolos de segurança e qualidade, e está aguardando o  acesso ao estudo para fornecer mais esclarecimentos. 

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp