Infraestrutura

Prefeito reaparece e agora é a vez do BRT. Será que este vai andar?

Imagem Prefeito reaparece e agora é a vez do BRT. Será que este vai andar?

Modelo do ônibus ficará exposto na Praça Municipal

Publicado em 01/08/2012, às 10h45        Caroline Gois (Twitter: @GoisCarol)

Na manhã desta quarta-feira (1º), o prefeito de Salvador apresentou o modelo do ônibus Viale Bus Rapid Transit (BRT), juntamente com vereadores, autoridades locais e representantes da empresa. 

Como um velho filme passando na cabeça, muitos baianos puderam presenciar e ter a mesma sensação que já tiveram há alguns meses atrás - quando os vagões do metrô foram apresentados e toda uma perspectiva foi criada em torno do dia em que a população poderá usufruir do transporte. Mas, há quase 13 anos, isso não acontece.
Entre uma promessa e outra, eis que surge agora o BRT. O modelo é o primeiro no Brasil com sistema de tecnologia de gerenciamento de frota, se a capital baiana opatar pelo sistema BRT, o veículo pode ser o escolhido para operar no município, de acordo com a Marcopolo.
O modelo do Viale BRT ficará exposto na praça e também irá percorrer as vias e ruas da cidade. A versão que será utilizada em Salvador tem até 21 metros de comprimento e capacidade para transportar até 145 passageiros.
Vontando no tempo
No fim do ano passado, o chefe da Casa Civil, João Leão, prometeu que "de segunda-feira até o Natal o metrô anda". Na época da entrevista - realizada no dia 17 de dezembro - o secretário aproveitou para reforçar e ratificar à própria Prefeitura, informando que na primeira partida não haverá sacos de areia e sim, nada. 
Segundo Leão, o primeiro teste é sem nada e ninguém e, por um mês, será possível colocar pesos nos vagões para testes de pré-lançamento. "Pode ser saco de areia ou mesmo chumbo. O importante é testarmos e levarmos segurança à população". E mais: "Primeiro um trem vai andar, depois dois e até abril eu garanto: a população vai entrar no nosso metrô", afirmou o chefe.
Os seis trens da Linha 1 do metrô de Salvador devem começar a rodar com 600 sacos de areia do dia 20 de dezembro. A quantidade de areia de cada saco corresponde a cerca de 60 quilos e servirá para simular o peso do transporte de pessoas, conforme explicou oficialmente a Prefeitura. O teste do sistema, que é parte de uma fase experimental, será executado entre os trilhos que ligam a Estação da Lapa - Rótula do Abacaxi.
E como quem comanda uma locomotiva, Leão fez questão de carimbar e patentiar durante a entrevista o slogan: "Felicidade e Responsabilidade". Isto, fazendo referência à forma como conduz sua vida. "Este trem vai andar. Já tenho recursos  aprovados. E nada de achar que 6km é pouco. São Paulo começou com 4km e Rio com 4,5 km", explicou Leão.
Ainda no ritmo da esperança de que tudo já deu certo, João Leão afirmou que a linha 1 chegará a 19km e a 2 a 16km. "Temos como colocar em prática e já conseguimos. Este é um presente meu e de João Henrique".
No dia 11 de agosto de 2011 o metrô completou 12 anos de construção, consumindo R$ 700 milhões. Entre abril e junho de 2012 - mais um prazo anunciado pela Prefeitura- os trens começam a transportar cerca de 600 passageiros em cada viagem.
Divergências
Em maio, uma reunião realizada na Secretaria  Estadual do Planejamento (Seplan) apontou divergências entre o secretário estadual de Planejamento, Zezéu Ribeiro, e o chefe da Casa Civil da prefeitura, João Leão, sobre o módulo de transporte coletivo para a capital baiana. 
Leão disse que, para não perder os R$ 560 milhões contratados para o sistema de transporte público, solicitou ao ministro das Cidades, Mário Negromonte, a adoção do Trânsito Rápido por Ônibus (BRT - sigla em inglês) – criando corredores exclusivos para ônibus entre o Acesso Norte e o Aeroporto de Salvador. 
Para Zezéu, a discussão sobre qual o meio de transporte – BRT, VLT ou metrô – é inútil e serve apenas para gerar polêmica. O secretário defende a realização de audiências públicas para definir o modelo de sistema a ser implantado.
Mesmo considerando a Copa do Mundo um evento importante, o secretário estadual acredita ser necessário um amplo debate para definir o melhor sistema, já que o sistema ficará como legado para a população, então é importante que o projeto escolhido demonstre viabilidade econômica e financeira.
O petista afirmou não ter posição pré-definida ou ideológica os projetos, lembrando que entre as propostas já conhecidas, existe um projeto de monotrilho, coordenada pelo governo do estado. Ele não demonstra pressa para a solução do problema e disse que a Copa é importante, mas o projeto a ser executado precisa ter viabilidade financeira e econômica, além de ser positiva para a população.
Agora, cabe observar tanto o ônibus quanto o metrô - ambos ainda parados e servindo como 'pontos turísticos' da capital baiana. A Copa de 2014 será, definitivamente, o ponto de partida que população tanto espera ou a história, agora com um novo personagem, irá se repetir? 

Fotos: Marivaldo Filho // Bocão News

Classificação Indicativa: Livre