Meio Ambiente

Junho Verde: Na Bahia, Braskem reduz cerca de 25 mil t de CO2 e vira exemplo para unidades no mundo

Divulgação-Braskem
A Braskem estabeleceu como metas reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 15% até 2030 e atingir a neutralidade de carbono até 2050  |   Bnews - Divulgação Divulgação-Braskem
Letícia Rastelly

por Letícia Rastelly

[email protected]

Publicado em 01/06/2024, às 12h00



A redução das emissões de gases do efeito estufa é uma das metas da Braskem, que tem conseguido alcançar ótimos resultados em sua unidade na Bahia, localizada na cidade de Camaçari, Região Metropolitana de Salvador (RMS). Só em 2023, foram 25 mil toneladas de gás carbônico (CO2) a menos no meio ambiente, graças a um conjunto de iniciativas que têm por objetivo a descarbonização. Os resultados foram tão positivos, que as ações se tornaram referência e foram reproduzidas nas unidades da multinacional do Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo e México.

Para isso, a Braskem implantou um projeto de digitalização nas plantas de Olefinas, nome dado a estrutura industrial responsável pela produção de petroquímicos básicos, que são amplamente utilizados na indústria química como materiais de base para setores essenciais da economia, a exemplo de eteno verde, propeno, metano e polímero pesado. Para obter essa matéria-prima, é realizado um processo denominado cracker, onde ocorre a “quebra” das moléculas de uma substância para obtenção de outras com moléculas de menor tamanho. Um dos principais equipamentos para se ter acesso a esses químicos, é o forno de pirólise: um forno com temperaturas elevadíssimas que consegue separar as partículas dessas substâncias base.

braskem

“Implementamos modelos preditivos para monitoramento do consumo energético em 90% dos fornos de pirólise, em Camaçari. Com a experiência adquirida, pudemos replicar a iniciativa em outras plantas da Braskem no Brasil e fora do país”, explica Gabriela Cravo, gerente global de Descarbonização Industrial da multinacional. Vale destacar que a problemática do forno de pirólise é a alta temperatura, que gera um elevado consumo de gás combustível, ou seja, uma inevitável produção de CO2.

Ainda segundo a gerente, esses equipamentos são responsáveis por 80% do consumo energético de um cracker. "O sistema dos fornos de pirólise é um dos processos industriais que mais consome energia e emite gases de efeito estufa. Portanto, é crucial implementar tecnologias que nos ajudem a tornar esse processo mais sustentável", ressalta Gabriela, ao informar que os modelos implementados nas outras localidades já chegam a 65% dos fornos.

O sistema citado pela gerente é o Multivariate Process Analysis (ProMV), que utiliza modelos matemáticos e estatísticos para otimizar o consumo de energia em tempo real nos fornos. Esse projeto teve início em 2018, em parceria com a AspenPlus, provedora do software utilizado, que promoveu o aprofundamento do conhecimento do processo pelos operadores, técnicos e engenheiros, além da identificação ágil de correções e oportunidades de melhorias.

"Com essa iniciativa, conseguimos construir um mindset preditivo para o acompanhamento do processo, o que nos permite agir de forma proativa na identificação de oportunidades e na busca por soluções mais eficientes", explica Gabriela.

Braskem

Entre os principais resultados, a Braskem ressalta a maior assertividade na interpretação de mudanças operacionais nos fornos, o aprimoramento da qualidade da instrumentação e a criação de rotinas de acompanhamento mais eficazes. Entretanto, para além disso, a empresa tem promovido a eletrificação de equipamentos, substituindo acionamentos turbinados por motores elétricos mais eficientes.

Compromisso

Por meio do Programa de Descarbonização, a Braskem estima que conseguiu reduzir a emissão de aproximadamente 900 mil toneladas de gases de efeito estufa em suas unidades nos últimos três anos, se compilarmos os dados em todas as unidades da multinacional. Nesse universo, os resultados obtidos em Camaçari representam cerca de 10% desse total. Vale destacar que a empresa estabeleceu como metas reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 15% até 2030 e atingir a neutralidade de carbono até 2050.

O uso do software de análise multivariável usado nos fornos de pirólise permitiu que a ferramenta digital pudesse ser usada para identificação de melhorias de eficiência energética em outros processos da companhia, a exemplo dos ciclos de propeno refrigerante e a maximização de margens operacionais e minimização do consumo energético global das unidades.

Confira mais matérias do projeto Junho Verde! 

"Estamos comprometidos em continuar investindo em iniciativas de descarbonização industrial, utilizando tecnologias de ponta e promovendo a eficiência energética em nossas operações. Isso não apenas contribui para a redução das emissões de gases de efeito estufa, mas também aumenta nossa competitividade no mercado", afirmou Aloísio Azevedo, gerente global de Engenharia de Processos da Braskem.

Braskem

Expansão

Gabriela também conta que foram desenvolvidos modelos de otimização da recuperação de hidrocarbonetos no sistema de ventilação da PE 1, unidade que produz polietileno, em Camaçari. Desse modo, há um aumento no reaproveitamento dessas substâncias, evitando que esse material seja enviado para o flare, um dispositivo que realiza a queima controlada de gases residuais, que geram mais gás carbônico.

A gerente anunciou ainda, que está sendo desenvolvido um sistema gêmeo digital (Digital Twin) para redução do consumo energético no processamento da nafta nas unidades de Aromáticos, também no Polo Petroquímico da Bahia.

A multinacional

A Braskem possuí um completo portfólio de resinas plásticas e produtos químicos para diversos segmentos, como embalagens alimentícias, construção civil, industrial, automotivo, agronegócio, saúde e higiene, entre outros. Com 40 unidades industriais no Brasil, EUA, México e Alemanha, a companhia, que tem mais de oito mil funcionários, exporta seus produtos para clientes em mais de 70 países.

O projeto Junho Verde 2024 é uma realização do Grupo A4 com patrocínio da Suzano, Governo Bahia, Axxo, JBS, Sian Engenharia, Shopping da Bahia, Intermarítima e Casa de Apostas Arena Fonte Nova. O apoio fica por conta da Atlântico Transportes, ITS Internet, Planeta Imaginário, Ecogreen Educação Ambiental, Casa Soma e UCI Orient Shopping da Bahia.

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp