Colunas / Na Sombra do Poder

Na Sombra do Poder: Watergate baiano

Reprodução/Redes sociais/Divulgação

Os bastidores da politica baiana

Publicado em 27/01/2022, às 05h55    Reprodução/Redes sociais/Divulgação    Editoria de política

Um famoso grupo político baiano está sendo acusado por um membro do Legislativo local de tá sendo grampeado e escutado, sob estratégia para eleição desse ano. O “esquema” lembra o caso “Watergate”, escândalo ocorrido em 1972 nos Estados Unidos, que culminou na renúncia do presidente Richard Nixon.

O caso está sendo comentado a boca miúda pelo meio empresarial e político como “ Watergate” baiano. As autoridades do estado já estão de olho nessa turminha. Eles já fizeram isso em outras ocasiões. Será que vai ser a eleição do grampo? É esperar para ver!

Vale frisar que as reuniões dessa turma são sempre no mesmo hotel ao final de tarde das quintas-feiras. Não está nada difícil adivinhar quem são.

Um curdo no governo

Uma figura habitué do Palácio de Ondina e Centro Administrativo vem sendo chamado por alguns deputados da base do governador Rui Costa de “0 curdo”. A aparência com habitantes da região da Turquia/ Síria chama atenção pelo seus braços fortes e roupas fechadas. A postura do rapaz incomoda bastante os apelos fetos por deputados da base governista. Ele sempre tem uma maneira de dar negativa aos pedidos, blindando o governador e tirando de cena o secretário da Serin, Luiz Caetano. Há quem diga que o senador Jaques Wagner está prestes a mandar o curdo de volta para sal terra.

A revolta das calcinhas

A história que narramos aqui na NSP do “Terror das Calcinhas” em uma das secretarias municipais, rendeu. A publicação aos quatro ventos, gerou burburinho interno e até lista das coleguinhas revoltadas que não receberam calcinhas de presente do Wando da Prefeitura. Teve solteira, casada, enrolada, pedindo calcinha de renda, algodão, comestível e teve até calcinha pós-parto!!!

Viúvas do Ricardão

As medidas antipopulistas que a Sefaz está tomando novamente com a população soteropolitana vem dando a alcunha da secretaria da Fazenda, Giovanna Victer de viúva do Ricardão. A turma está se referindo a Mauro Ricardo, ex secretário de Fazenda de ACM Neto, que fez um estrago nas contas do IPTU da população. O rapaz não contou conversa e sentou o dedo no reajuste do imposto da época. Dizem que o mesmo fez uma boa aluna. Giovanna vem aplicando 1O% de reajuste nos imóveis da cidade e 50% na taxa de lixo. Não só ela, mas outra ala da gestão Bruno Reis está no mesmo bloco do que a galera chama das viúvas de Ricardão.

O Mala

A figura do mala está de volta à ala gourmet do Shopping Salvador. Quando se aproxima, a galera já olha atravessado e sai das mesas. O mala, como é conhecido, costuma se vestir com mocassim, calça jeans pescando e a camisa Ricardo Almeida. Ele se acha o cara. Cheio de assuntos políticos e do judiciário, ele tenta dominar as mesas sentando, beliscando sashimi, metendo garfo em ceviches e claro, bebendo vinho de mesa em mesa. A galera já ameaça tirar uma foto dele e mandar para a NSP.

Sargento pincel

Uma figura conhecidíssima na gestão ACM Neto andava meio apagado na gestão Bruno Reis. Dizem as más línguas que um desgaste entre ele e aliados do antigo prefeito discutiram e quase iam as vias de fato durante a eleição de Bruno. O motivo não foi revelado, mas quem ouviu disse que sobrou pano para tudo que é lado. Desta vez o rapaz voltou a aparecer em inaugurações, fotos para lá, fotos para cá. Será que voltou para o quartel? Fontes afirmam que incomodou bastante ACM Neto sua presença ao lado do atual gestor. Vamos ver as cenas dos próximos capítulos.

EL-BA

Os deputados estaduais voltam aos trabalhos na próxima terça-feira (1º), mas muitos cogitam optar pelo modelo remoto a fim de se resguardarem da onda de Covid que abateu servidores e parlamentares nesta semana. Pelo menos sete deputados tornaram público seus exames positivos. Já tem gente dizendo que o presidente Adolfo Menezes vai ter que rebatizar as iniciais da Casa para EL-BA: Enfermaria Legislativa da Bahia.

Máxima presidencial

Por falar em Adolfo Menezes, é dele a máxima: “só não pegou Covid quem não testou”. E pelo jeito, ele tem razão.

No paraíso com Nilo

Dizem as más línguas da política baiana que o clique fotogênico de Jutahy Magalhães à beira-mar foi feito pelas lentes do mui amigo Marcelo Nilo. O cortejo para ter Nilo nas fileiras de ACM Neto nas eleições é tão forte que Jutahy colocou até as pernas pra jogo. Esse pessoal do WhatsApp não perdoa!

Ritmo de campanha

A inauguração da reforma do campo do Poeirão, na Boa Vista do São Caetano, teve muita música e o ritmo foi de campanha eleitoral. No dia de aniversário do ex-prefeito e pré-candidato ao Palácio de Ondina ACM Neto, não faltou carro de som, churrasco e cerveja na comunidade e aquele clima de festa. Tudo isso, somado ao discurso efusivo de quase 15 minutos de Bruno Reis e a peruada de vereadores e lideranças, só nos faz pensar que o jogo já começou.

Grama de ouro

Por falar no campo do Poeirão, a Prefeitura desembolsou uma boa grana para reforma do espaço. No total, mais de R$ 3 milhões foram gastos, incluindo uma academia ao ar livre e modesta mesa de pingue pongue de concreto. Somente o campo de society, contudo, custou mais de R$ 400 mil. Dizem que a grama é de ouro.

Pra que tanto...

Um valor tão alto desse, nem Bahia e Vitória, no estado atual, mereciam jogar lá.

Fogo cruzado

Se as trocas de declarações dos últimos dias derem o tom, ao contrário do pleito municipal de 2020, de tédio ninguém vai morrer nas eleições para o governo baiano neste ano. Entre diretas, indiretas, alfinetadas e cutucadas, os dois principais postulantes da disputa, Jaques Wagner e ACM Neto, colocaram a artilharia pra jogo. O fogo cruzado teve bate-rebate sobre a atuação do ex-prefeito nas chuvas do sul da Bahia e indireta sobre supostos “recados” de Neto pra Lula.

Nutella?

Recém-desembarcados no bolsonarismo, os deputados estaduais Robinho (PP) e Samuel Júnior (PDT) e o federal Alex Santana (PDT) passaram em branco em ao menos registrar o falecimento Olavo de Carvalho, considerado guru máximo bolsonarista. A indiferença com que os três trataram o momento só confirma o que todo mundo já sabia: são bolsonaristas Nutella, aliados apenas pela conveniência do momento. Em tempo: essas três figuras foram eleitos e se criaram em governos petistas.

Os inocentes da Toca do Leão

Em participação no podcast Arena BNews, o ex-presidente Alexi Portela, que junto com aliados ajudou a colocar Paulo Carneiro de volta à presidência do Vitória, disse que conheceu “verdadeiramente” o cartola na atual gestão. Os “inocentes” da Toca do Leão só esqueceram do “currículo” do velho PC, com direito a rebaixamento à Série C e processo na Justiça contra o clube.

Classificação Indicativa: Livre