BNews Nordeste

Cerca de 40 ônibus ficam sem circular em Teresina por irregularidades trabalhistas

Reprodução

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários, funcionários contratados de forma irregular não foram autorizados a sair com os veículos

Publicado em 25/05/2022, às 08h03    Reprodução    Redação BNews

Aproximadamente 40 ônibus, que fariam trajetos pela Zona Sul de Teresina, no Piauí, deixaram de circular nesta terça-feira (24).  A medida foi adotada após fiscalização do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários no Estado do Piauí (Sintetro-Pi).

De acordo com o G1, as inspeções foram feitas pelo órgão em duas empresas de ônibus, após denúncias de irregularidades nas contratações. Segundo o Sindicato, somente os trabalhadores com regime de contratação compatível com a convenção coletiva foram autorizados a sair com os veículos.

Entre as irregularidades identificadas pelo sindicato estavam: diaristas que trabalham todos os dias, intenção de contratar em meio período (ação impedida pela convenção coletiva) e descumprimento de carga horária de 7h20 de forma contínua. “Temos trabalhadores recebendo por diária e a nossa convenção coletiva não permite. Também querem assinar a carteira do trabalhador em meio período, que também não tem previsão no documento”, explicou o diretor do Sintetro-PI, Andresson Assunção.

Leia mais:

Idosa é resgatada após cair em cisterna de seis metros; saiba mais

'Paredões' viram alvo de operação contra poluição sonora; saiba mais

Problemas respiratórios causam suspensão de aulas na educação infantil em Pernambuco; entenda

“Estamos aqui para fiscalizar. Se trabalhar todos os dias, é mensalista. Diarista não tem direito a nada. O que acontecer com o diarista durante o trabalho, não há segurança jurídica alguma”, destacou Assunção que identificou mais de 50 profissionais com regime irregular de trabalho.

Durante todo o dia, foram fiscalizadas as empresas Santana e Transcol e outras fiscalizações deverão acontecer nos próximos dias.

A reportagem buscou esclarecimentos com o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) e a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) de Teresina, mas não obteve retorno até o fechamento desta reportagem.

Siga o BNews no Google Notícias e receba os principais destaques do dia em primeira mão!

Classificação Indicativa: Livre