BNews Nordeste

Paixão de Cristo de Nova Jerusalém (PE) volta com público após 2 anos

Agência Brasil

O evento acontece entre o sábado anterior à Semana Santa e o sábado de Aleluia, véspera do domingo de Páscoa

Publicado em 13/04/2022, às 11h49    Agência Brasil    Folhapress

A Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, no distrito de Fazenda Nova, em Brejo da Madre de Deus, no agreste de Pernambuco, está de volta após dois anos de inatividade em razão da pandemia de Covid-19. A cidade fica a 180 quilômetros do Recife.

Neste ano, o retorno às encenações vem acompanhado da presença maciça do público no maior teatro ao ar livre do mundo. A capacidade é de 10 mil pessoas por apresentação.
Realizada desde 1968, a Paixão de Cristo de Nova Jerusalém já foi vista por cerca de 4 milhões de pessoas do Brasil e do exterior e se consolidou como uma das principais atrações turísticas do Brasil durante a Semana Santa.

O evento tradicionalmente acontece entre o sábado anterior à Semana Santa e o sábado de Aleluia, véspera do domingo de Páscoa. Neste ano, a encenação ocorre desde o dia 8 e segue até a Sexta-Feira Santa (15). Há traslados e caravanas com ônibus e conjuntos de carros que partem do Recife, de Caruaru –cidade próxima ao local do evento–, do balneário de Porto de Galinhas, em Ipojuca, e de outras regiões do Nordeste.

Leia mais:

Aliado de Lira vendeu kit robótica 420% mais caro do que declarou ter pago

Oposição de Fátima Bezerra não consegue encontrar candidato no RN

Aluno ameaça com facão vice-diretor de escola estadual

A estimativa é que cerca de 1.500 empregos diretos e 10 mil indiretos sejam gerados com o evento. Em torno de R$ 400 milhões devem ser injetados na economia do estado.
"Há um impacto econômico grande sobretudo no distrito de Fazenda Nova, onde vivem 8.000 pessoas. Todos os figurantes trabalham nessa época", diz o prefeito de Brejo da Madre de Deus, Roberto Asfora (PL).

Na temporada deste ano, o ator convidado para fazer o papel de Jesus é Gabriel Braga Nunes.
"Em 2019, eu fiz o papel de Pilatos e então tive o primeiro contato com essa grande encenação. Fiquei muito impactado com o tamanho da encenação, a qualidade da dramaturgia e a quantidade de gente participando do espetáculo, com atores excelentes. Fiquei muito impressionado com o tamanho desse empreendimento num país onde empreender cultura é uma coisa tão difícil", afirma Gabriel Braga Nunes à reportagem.

"O momento da cultura no nosso país é um dos piores na história, mas tenho fé que em breve a gente vai conseguir reverter isso", acrescenta o ator. Ao seu lado, estão Christine Fernandes como Maria, Luciano Szafir interpreta Herodes, Sérgio Marone como Pilatos, a influenciadora digital Thaynara OG no papel de Herodíadese Marina Pacheco como Madalena.

O elenco é formado também por cerca de 450 atores e figurantes pernambucanos que atuam no espetáculo sob a direção artística de Lúcio Lombardi e do assistente especial de direção Alberto Brigadeiro. Na peça teatral, a vida de Jesus é contada em nove palcos-plateia com uma cenografia que reproduz parte da Jerusalém dos tempos de Jesus, incluindo o Templo, o Fórum Romano, o Palácio de Herodes, a Via Sacra e o Monte do Calvário. O espetáculo conta com figurinos e efeitos especiais para dar o tom da trama.

Para Gabriel Braga Nunes, há impactos profissionais e pessoais ao interpretar o protagonista da Paixão de Cristo, indo da dedicação para exercer bem o papel de Jesus à assimilação das mensagens transmitidas por Cristo. "Quando você precisa estudar um personagem, decorar as falas para conseguir dizer aquilo como verdade, é necessária uma boa compreensão daquilo que está escrito. O exercício de decorar o texto vem junto com um grau profundo de compreensão do texto para que você possa transmitir aquilo com sinceridade. Dessa forma, a gente se aproxima muito do conteúdo e das mensagens", afirma o ator.

"Interpretar Jesus está sendo uma grande oportunidade de me aproximar do que ele falou. Essa coisa de retribuir o mal com um bem, se todo mundo consegue praticar isso um pouquinho que seja no dia a dia, a gente muda a ordem das coisas, o mundo certamente dá uma guinada para melhor", acrescenta Braga Nunes.

Geralmente, a organização começa em setembro ou outubro do ano anterior, cerca de seis meses antes. Por causa das incertezas geradas pela pandemia, apenas em janeiro de 2022 os organizadores tiveram a convicção de que seria possível realizar a Paixão de Cristo neste ano. "Neste ano, a gente só decidiu que o evento poderia acontecer em janeiro. Conseguimos em tempo recorde montar todo o teatro, firmar parcerias e preparar o espetáculo. Após momentos difíceis da pandemia, temos que comemorar a volta", afirma Robinson Pacheco, presidente da Sociedade Teatral de Fazenda Nova.

Nesta quarta (13), há promoção com desconto de 50%, ou seja, o ingresso é vendido a R$ 100. Para os demais dias, as entradas custam R$ 200 inteira e R$ 100 meia. As apresentações continuam até o sábado (16). Os ingressos podem ser adquiridos pelo site www.novajerusalem.com.br.

A ideia de construir um teatro que fosse uma réplica da cidade de Jerusalém foi do jornalista gaúcho Plínio Pacheco. Nova Jerusalém é uma cidade-teatro com 100 mil metros quadrados e é cercada por uma muralha de pedras de quatro metros de altura e com 70 torres de sete metros cada uma. O local também abriga uma pousada para receber turistas que desejam assistir e participar da Paixão de Cristo como figurantes. Além disso, no local ficam os atores convidados.

Siga o BNews no Google Notícias e receba as principais notícias do dia em primeira mão.

Classificação Indicativa: Livre