Polícia

Quatro funcionários de condomínio de luxo onde jovem foi morta serão ouvidos nesta quarta-feira pela polícia

Reprodução/ RecordTV Itapoan

O acusado pelo feminicídio é o advogado criminalista José Luiz Meira, que está preso na Polinter

Publicado em 20/10/2021, às 14h00    Reprodução/ RecordTV Itapoan    Redação BNews

Quatro funcionários do condomínio de luxo onde a jovem Kesia Stefany da Silva Ribeiro foi morta no último domingo (17), no bairro do Rio Vermelho, serão ouvidos por policiais nesta quarta-feira (20), na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O acusado pelo feminicídio é o advogado criminalista José Luiz Meira, que está preso na Polinter. 

O advogado Thiago Santana, que defende os quatro funcionários, destacou que os trabalhadores prestarão depoimento na qualidade de testemunhas. “O que vai ser apurado é a relação do casal”, frisou o defensor, em entrevista ao Balanço Geral.

Mesmo sendo levantada a possibilidade de indiciamento do porteiro que estava no plantão, por omissão de socorro, Santana disse que o trabalhador se deparou com uma situação nada usual e que a defesa se pronunciará no momento certo.

Outras testemunhas devem ser ouvidas pelos policiais na quinta-feira (21). O inquérito está em sigilo para que as investigações não sejam prejudicadas.

Leia também:

Classificação Indicativa: 10 anos