Polícia

Testemunha desmente agente agredido da Transalvador

De acordo com a esposa do envolvido, os funcionários do órgão que começaram com a confusão

Publicado em 31/01/2013, às 07h46        Elena Martinez (@ElenaMartinez)

Na terça-feira (29), por volta das 18h30, um agente da Transalvador foi agredido com um golpe de capacete no rosto, ao autuar o condutor do veículo de modelo Celta, que estava estacionando em local indevido, na Avenida Carlos Gomes, próximo ao Codecon. Segundo a testemunha, Rafaela Barbosa, o veículo faltou gasolina. “Meu marido estava conduzindo o carro e parou no acostamento para aguardar outro amigo que estava vindo ajudar”.

De acordo com ela, ao ser abordada pelo agente da Transalvador, tentou se explicar, mas não foi ouvida. “O agente chegou pedante, informando que estávamos estacionados em local indevido e que iria notificar aplicando uma multa, mas até ai tudo bem. O problema é que tentamos explicar que estávamos aguardando um amigo trazer gasolina, porém fomos ignorados e o funcionário do órgão começou a fazer outras notificações, dizendo que a placa estava ilegível”.

As primeiras informações da Transalvador é que o agente começou a ser ameaçado por quatro ocupantes do veículo. "Sentindo-se reprimido, o servidor solicitou apoio, e foi encaminhada uma viatura da autarquia com mais dois agentes", explicou a assessoria do órgão em nota. Informando também, que ao chegar no local, o agente Josias José Santos Júnior, foi surpreendido com os golpes de capacete e ponta pés.

Rafaela comentou a situação relatada pela Transalvador. “Estavamos eu, meu marido, minha filha de um ano e um amigo, depois que fomos notificados e colocamos a gasolina trazida por outro amigo na carona de uma motocicleta, tentamos ir embora e fomos impedidos pelo agente, foi quando começou a confusão”.

Policiais Civis que estavam passando pelo local, notaram o tumulto e prenderam em flagrante, dois dos quatro ocupantes que estavam no veículo e foram encaminhados para 1ª Delegacia de Polícia, nos Barris, sendo apresentados por agressão e ameaça.

Conforme explicou Rafaela, o agente que começou a confusão não prestou depoimento. “Eles foram agredidos porque, primeiramente foram agressores. Sendo que um deles ainda puxou uma faca para meu marido”, revelou.

Nota originalmente postada às 19h do dia 30

Leia matéria relacionada ao assunto:


Mais um agente de trânsito da Transalvador é agredido

Classificação Indicativa: Livre