Polícia

Conjunto Penal de Lauro de Freitas recebe Copa sem Fronteiras

Imagem Conjunto Penal de Lauro de Freitas recebe Copa sem Fronteiras

Projeto do TJ-Ba Visa a ressocialização de internos

Publicado em 25/05/2014, às 15h01        Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews)

O Tribunal de Justiça do Estado (TJ-BA) em parceria com a Federação de Futebol não Profissional da Bahia (FFNPB) lançou no Conjunto Penal de Lauro de Freitas a Copa sem Fronteiras, que visa a ressocialização dos internos.

A abertura do evento, que tem o apoio da Prefeitura Municipal de Lauro de Freitas (PMLF), contou com as presenças do secretário de Turismo Esporte e Lazer (Setel), José Bonfim; o diretor da unidade prisional, Marcelo Nery; o diretor adjunto, Manoel Gonçalves; a promotora do TJ-Ba, Silvia Cerqueira; o presidente da FFNPB, Gilvanilson Muniz, além de autoridades religiosas, que lançaram a competição nesta sexta-feira (23).

Na oportunidade, foram entregues os uniformes dos times aos participantes da Copa: troféus, medalhas, redes para trave do gol, além de latas de tinta para pintura da quadra. O secretário da pasta, José Bonfim, destacou a importância do apoio dado pela Prefeitura. “A Prefeitura apoia esta iniciativa com a visão de que a humanização e ressocialização destes internos evita a reincidência e diminui a criminalidade, ao passo que estes homens serão reintegrados à sociedade como verdadeiros cidadãos”, comenta.

A Copa sem Fronteiras envolve os mais de 450 internos e faz parte do Projeto Começar de Novo, do TJ-BA. Para a promotora Silvia Cerqueira, a iniciativa resgata a convivência harmoniosa e eleva autoestima, facilitando a ressocialização.

O diretor da unidade prisional avalia que todas as ações educativas e laborais repercutem positivamente na ressocialização dos internos. “Creio que essa ação através do esporte irá contribuir muito com as outras atividades que desenvolvemos aqui, com esse intuito de reconstituir o indivíduo para a sociedade e isso é perceptível na mudança de comportamento deles e os relatos de familiares que recebemos sobre a mudança na vida do interno”, afirma Nery.   

Além das autoridades presentes, membros da Federação Investigativa dos Direitos Humanos (FIDH) acompanharam a cerimônia. O presidente da instituição, Raimundo Antonio Silva, destacou que o evento esportivo contribui para restabelecer a integridade dos internos enquanto indivíduos e cidadãos a partir da interação.

Gilvanilson Muniz, presidente da FFNPB, falou da importância do futebol para o processo de ressocialização. “O futebol tem a dinâmica de agregar, transformar e levantar a autoestima desses homens, chegando ao objetivo principal que é a reintegração deles como cidadãos regenerados na sociedade”, avalia.

Classificação Indicativa: Livre