Polícia

Após morte de liderança do BDM, policiamento é reforçado no Terminal de Águas Claras

Reprodução e Divulgação | SSP
Robissão morreu na manhã desta quarta-feira, após confronto com a polícia em São Cristóvão  |   Bnews - Divulgação Reprodução e Divulgação | SSP
Alex Torres

por Alex Torres

[email protected]

Publicado em 19/06/2024, às 18h44 - Atualizado às 19h03



Após supostas ameaças de queimar ônibus, que culminaram com a suspensão das operações no Terminal de Águas Claras, o policiamento na região foi fortemente reforçado. A informação foi divulgada no final da tarde desta quarta-feira (19), pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA).

Inscreva-se no canal do BNews no WhatsApp

De acordo com a pasta estadual, ficou determinado o reforço das ações ostensivas da Polícia Militar (PM-BA) e também a ampliação das ações de inteligência, através das equipes da Polícia Civil (PC).

O movimento de criminosos seria retaliação à morte de Leandro Bispo dos Santos, conhecido pelos vulgos de 'Robissão', 'Jha' ou 'Madimbu'. Ele era um dos braços da facção criminosa baiana Bonde do Maluco (BDM) e morreu durante confronto com a polícia na manhã desta quarta-feira, no bairro de São Cristóvão. 

Robissão acumulava uma série de assassinatos. Os bairros com maior número de homicídios registrados nas mãos dele eram Águas Claras e Cajazeiras. Ele também comandava regiões como Condor e Rua Celika Nogueira.

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp