Polícia

Empresária é acusada de enviar 200 pixes com ataques racistas para personal trainer

Reprodução Redes Sociais
Tudo começou por causa do fim do envolvimento amoroso. A empresária não aceitou o término  |   Bnews - Divulgação Reprodução Redes Sociais

Publicado em 19/06/2024, às 15h12   Redação BNews



Em apenas um dia, a empresária Lilian Mohamad Etiê, de 35 anos, está sendo acusada de enviar, via pix,ofensas racistas a um personal trainer com quem ela tinha envolvimento amoroso. No pix com valor de R$ 0,01, a mulher chama a homem de “macaco”, “orangotango” e “gorila”, além de afirmar que o personal é uma de pessoa de “baixa renda” e “pobre”.

Inscreva-se no canal do BNews no WhatsApp

De acordo com informações publicadas pelo Metrópoles, a mulher é dona de uma loja de acessórios de celulares na capital paulista e não frequenta mais a academia do professor de Educação Física, desde que o caso ganhou repercussão. 

O homem que sofreu com os ataques registrou um boletim de ocorrência de racismo, na semana passada, e o caso é investigado pela Polícia Civil da capital paulista.

Os dois se conheceram via internet no início do ano. Lilian é aluna na academia onde ele dá aula - porém, nunca se encontram na musculação porque frequentavam o local em horários diferentes. 

O personal contou ao Metrópoles que o “caso” dos dois durou dois meses. Eles terminaram, mas a empresária queria continuar. Assim, eles começaram a se encontrar com menos frequência, para não alimentar falsa esperança de namoro com a mulher, o personal decidiu encerrar os encontros esporádicos com a empresária, para evitar problemas futuros.

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp