Polícia

STJ mantém prisão preventiva da ex-deputada Flordelis

Reprodução Arquivo Bnews

A prisão de Flordelis foi decretada em agosto de 2021

Publicado em 26/04/2022, às 17h48    Reprodução Arquivo Bnews    Redação Bnews

Por unanimidade, nesta terça-feira (26),  o Superior Tribunal de Justiça manteve a prisão preventiva da ex-deputada federal Flordelis, acusada de mandar matar o próprio marido, o pastor Anderson do Carmo, executado a tiros em 2019. A defesa tinha entrado com o com pedido de habeas corpus para que ela respondesse em liberdade.

A prisão de Flordelis foi decretada em agosto de 2021, após a Câmara cassar o mandato dela por 437 votos a favor e 7 contra. Ela ainda não foi a juri popular e ainda não há condenação contra ela. O julgamento do caso está para maio, no dia 9. 

Leia também: 

Caso Flordelis: filho responsabiliza a ex-deputada

Júri popular absolve o filho afetivo de Flordelis por morte de pastor

Segundo informações do site R7, a Justiça de primeiro grau decidiu pela prisão preventiva para evitar a fuga da suspeita.

O advogado de defesa da deputada, Rodrigo Faucz, alegou, durante o julgamento do habeas corpus, que a cliente sofre com ilegalidades no processo. 

O ministro relator, Antonio Saldanha, afirmou que "a decisão da primeira instância sem oitiva prévia da defesa se deu em ato da eficiência da medida. Tendo em vista que a ré sequer foi localizada no endereço apontado. Isso sem falar nos incontáveis descumprimentos de medidas diversas à prisão e condutas intimidatórias sobre as testemunhas. A urgência e o perigo da ineficácia da medida se mostra evidente, pois a medida visa assegurar a aplicação da lei penal sob o risco de fuga da investigada. Não há como se exigir que a defesa fosse ouvida previamente".

Siga o BNews no Google Notícias e receba os principais destaques do dia em primeira mão.

Classificação Indicativa: Livre