Polícia

Técnicas de enfermagem que entravam na Mata Escura com celulares faturaram R$450 mil

Arquivo BNews

As técnicas de enfermagem foram presas durante a Operação Disciplina

Publicado em 28/04/2022, às 11h17    Arquivo BNews    Redação BNews

Duas técnicas de enfermagem foram presas na terça-feira (26) após confessarem à polícia que eram responsáveis por levar celulares para detentos no Complexo Penitenciário de Mata Escura, em Salvador. Para cada aparelho entregue, elas recebiam R$50 mil. A dupla faturou R$450 mil, já que nove aparelhos foram entregues aos criminosos.

As duas foram descobertas durante o curso da Operação Disciplina que, nesta terça, prendeu 12 pessoas na capital baiana e na região metropolitana. Na ocasião, os agentes desarticularam uma quadrilha que matava pessoas durante o “tribunal do crime” — sistema paralelo que julga e aplica punições, de acordo com “as leis” da criminalidade.

Investigadores da polícia começaram a desconfiar do esquema de entrega de celulares após descobrirem que quatro detentos, entre eles duas lideranças de uma organização criminosa, se comunicavam por meio dos aparelhos com comparsas. Fora das grades, os membros da facção executavam as vítimas com orientação dos seus superiores.

"As duas mulheres foram autuadas, no dia 31 de março deste ano, e com essas informações ampliamos a operação Disciplina. Vamos aprofundar as investigações, pois não podemos descartar o envolvimento de outros servidores da penitenciária", destacou o titular da Delegacia Especializada de Tóxicos e Entorpecentes (DTE), delegado Yves Correia.

Leia também:

Modus operandi

De acordo com a polícia, as técnicas de enfermagem usavam faixas por dentro dos sutiãs para esconder smartphones e carregadores. Elas agiam sempre à noite, turno em que não há revista com a utilização de bodyscan (inspeção corporal).

Assim que entravam na sala destinada aos cuidados médicos, na ala masculina, elas escondiam os celulares e acessórios embaixo de um armário. Em depoimento à polícia, as mulheres disseram que os pagamentos foram feitos em espécie e também por pix. As duas participavam do esquema desde julho de 2021.

A dupla foi autuada no artigo 349-A (ingressar, promover, intermediar, auxiliar ou facilitar a entrada de aparelho telefônico de comunicação móvel, de rádio ou similar, sem autorização legal, em estabelecimento prisional) do Código Penal.

Siga o BNews no Google Notícias e receba as principais notícias do dia em primeira mão.

Classificação Indicativa: Livre