Política

Pastor afirma que Esporte cobrou 10% de propina

Mais escândalos atingem pasta do ministro Orlando Silva

Publicado em 22/10/2011, às 19h01        Redação Bocão News

David Castro, 56, fundador da Igreja Batista Gera Vida, de Brasília, e que recebeu R$ 1,2 milhão do Ministério do Esporte diz que foi pressionado a repassar 10% do dinheiro para os cofres do PC do B, o partido que controla o ministério, informa reportagem de Andreza Matais e Felipe Coutinho, publicada na Folha de São Paulo deste sábado.
"Veio um monte de urubu comer o filezinho do projeto", disse à Folha o pastor evangélico. Ele diz que se recusou a pagar a propina.

Filiado ao PP, Castro afirmou que sofreu retaliação por não ter pago a propina exigida. "Na hora da prestação de contas [do convênio], houve dificuldade porque evidentemente não houve propina."

O Esporte afirmou ser mentira que o projeto do pastor foi reprovado por que não houve pagamento de propina. "A prestação de contas não foi aprovada porque o convenente não cumpriu os requisitos legais."

Pelé pode ser novo ministro

Após todos os escândalos que abateram sobre a pasta do Esporte nas últimas semanas, a presidente Dilma Rousseff manteve Orlando Silva à frente do cargo.  Mas já existem rumores e posições favoráveis a da indicação do ex-jogador Pelé para substituir o ministro do PCdoB.

O vice-presidente Michel Temer (PMDB) já levantou a bandeira, e afirmou que considera o nome do atleta do século como um grande nome - o ex-atleta já foi titular dos Esporte durante o governo de Fernando Henrique Cardoso.

Classificação Indicativa: Livre