Política

Manifestantes estendem faixa contra Bolsonaro ao lado do Elevador Lacerda

Divulgação

Salvador tem protestos contra presidente neste domingo (21)

Publicado em 21/02/2021, às 14h20    Divulgação    Henrique Brinco

Partidos de esquerda e representantes de sindicatos fizeram protestos contra o presidente Jair Bolsonaro em Salvador, neste domingo (21). A ação espalhou cruzes na Praça Municipal e estendeu faixas com "Fora Bolsonaro" e "Vacina Já" ao lado do Elevador Lacerda, centro de Salvador. 

Para o presidente do PT municipal, Ademário Costa, "a falta de vacina do Brasil é o maior absurdo que já presenciamos de todos os outros praticados pelo Governo Bolsonaro". "Não há vacinas e nem um cronograma de vacinação viável que possa ser implementado no país. O Ministério da Saúde está em constante contradição e é extremamente ineficiente. As pessoas estão morrendo e o Brasil está sem perspectiva, sem esperança, vivendo um caos por conta do descaso, o desrespeito o desgoverno de Bolsonaro", afirmou o dirigente.

O secretário de mobilização do PT de Salvador, Walter Takemoto, disse que "os militantes que defendem um país mais democrático, mais justo e solidário, não se intimidarão diante desse governo genocida de Bolsonaro". "Nós estendemos duas faixas de 10 metros ao lado do Elevador Lacerda com as falas: Vacina Já e Fora Bolsonaro e elas representam o que queremos: um novo país, um novo governo, um novo projeto democrático, popular de liberdade e justiça social", avaliou.

A secretária de movimentos sociais do PCdoB-BA e presidente da UNEGRO, Ângela Guimarães, avalia que o Governo Bolsonaro é "o pior do mundo na gestão da pandemia" e que "aprofunda as desigualdades ao cortar o auxílio emergencial e não apresentar nenhuma ação que amenize a situação de miséria a que o nosso povo está submetido".

A presidente da Central Única de Trabalhadores na Bahia, Madalena Firmo, disse que o movimento representa a luta pela garantia da vida. "Não podemos aceitar que mais de mil pessoas morram todos os dias no País", bradou. Para Lucivaldina Brito, diretora do Sindicato de Trabalhadores Federais em Saúde, Trabalho e Previdência Social (Sindprev), "as únicas coisas que crescem o Governo Bolsonaro são os preços da cesta básica e dos combustíveis, a miséria e as mortes por COVID-19". 

Já a vereadora Laina, do Coletivo Pretas por Salvador, disse que é preciso uma unidade de esquerda para enfraquecer Bolsonaro e aliados, incluindo o ex-prefeito ACM Neto (DEM). "Também temos que pensar em alternativas que propiciem renda para o povo mais pobre. Não dá para confiná-los em casa sem comida e sem recursos", alfinetou a psolista.

Leia também:
Manifestantes fazem carreatas contra Bolsonaro

Classificação Indicativa: Livre