Política

Blogueiro bolsonarista investigado pelo STF usou estagiária de Lewandowski como informante, indicam mensagens

Roque de Sá/Agência Senado

Estudante disse a Allan dos Santos que seria 'uma honra' ajudá-lo, segundo diálogos coletados pela PF

Publicado em 06/10/2021, às 07h26    Roque de Sá/Agência Senado    Folhapress

O blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, investigado pelo STF (Supremo Tribunal Federal), tratou uma funcionária do gabinete do ministro Ricardo Lewandowski como informante, mostram mensagens coletadas pela Polícia Federal.

O material obtido por meio de quebra de sigilo telefônico consta de relatório da Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado da PF, ao qual a Folha teve acesso.

Allan é investigado em dois inquéritos no STF —um para apurar disseminação de fake news e outro para identificar quem financia essas ações e os atos antidemocráticos.

O documento traz diálogos entre o blogueiro e Tatiana Garcia Bressan, 45. Ela estagiou no gabinete de Lewandowski de 19 de julho de 2017 a 20 de janeiro de 2019, antes da abertura dos inquéritos contra Allan, em março daquele ano.

As conversas começaram em 23 de outubro de 2018 e vão até 31 de março de 2020. A bolsa paga pelo STF aos estagiários de direito no período era de R$ 1.207 por mês.

Na primeira conversa, Tatiana entra em contato com Allan, demonstrando interesse em trabalhar na equipe da deputada bolsonarista Bia Kicis (PSL-DF), e diz que está no gabinete de Lewandowski.

Nos diálogos (transcritos pela Folha nesta reportagem de forma literal, incluindo eventuais erros de digitação e ortografia), a estagiária relata ter dificuldade em trabalhar com o ministro, mas diz que está "lá para aprender".

A informação, segundo o relatório da PF, "naturalmente desperta o interesse de Allan", que pede a colaboração de Tatiana.

"Fique como nossa informante lá", diz o blogueiro, cerca de duas horas depois do início da conversa. A estagiária responde prontamente: "Será uma honra. Estou lá kkk".

Em seguida, Allan pergunta o que de mais espantoso Tatiana vê no gabinete. Ela então diz: "O que vi de mais espantoso é que realmente eles decidem o que querem e como querem. Algumas decisões são modificadas porque alguém importante liga pro ministro".

Procurada pela Folha, Tatiana afirmou por mensagem que nunca atuou como informante de Allan. Disse que apenas tinha ligação com o blogueiro pois ambos foram alunos do escritor Olavo de Carvalho. Allan não respondeu aos contatos da reportagem.

Leia também

STF retoma julgamento sobre interrogatório de Bolsonaro à PF e testa 'paz' selada entre os Poderes

Condomínios podem exigir cartão de vacina contra a Covid de seus funcionários; entenda

Câmara aprova texto principal do projeto que abranda lei da improbidade administrativa

Eleições OAB-BA: "Não vejo uma polarização feminina", diz Ana Patrícia Dantas Leão

Classificação Indicativa: Livre