Política

Veradora do PT acusa Bruno Reis e aliados de "narrativa enganosa"

Divulgação

"O governador não vai se precipitar", diz Marta Rodrigues

Publicado em 10/11/2021, às 18h02    Divulgação    Redação BNews

A vereadora Marta Rodrigues (PT), líder da oposição na Câmara de Salvador, rebateu as declarações do vice-presidente da Casa, Duda Sanches (DEM) que acusou o governador Rui Costa (PT) de aniquilar empregos diante da demora para anunciar o Carnaval de 2022. Para a petista, o colega, assim como o prefeito Bruno Reis (DEM), tenta criar uma narrativa enganosa ao pressionar gestor estadual sobre a folia "para se eximir da responsabilidade com a saúde pública e com projetos de geração de renda emergencial que a própria prefeitura se comprometeu".  

Leia também:

Segundo a petista, se o prefeito realmente estivesse preocupado com geração de renda da população soteropolitana, como afirmou Duda Sanches, já teria liberado os R$ 10 milhões do Programa CredSalvador, aprovado em maio no legislativo municipal, voltados para MEIs, profissionais autônomos, pequenos empreendedores e microempresários de Salvador no enfrentamento econômico da pandemia da Covid-19.  

    “Se estão preocupados mesmo com sobrevivência da população, o vereador precisa perguntar ao prefeito onde está o CredSalvador e o Fundo de Crédito Emergencial do Município, ambos do projeto 137/21 que aprovamos em maio por ser emergencial, mas que ainda não saiu do papel. Tem que perguntar  porque o Domingo É Meia ainda não voltou para os usuários do transporte em um grave momento de crise financeira”, reforçou. 

    Leia também:

    Ainda de acordo com Marta, o que pode gerar prejuízos ainda maiores para a população são as decisões precipitadas e a ausência da gestão municipal na implementação de políticas públicas.  “Na medida em que se bate o martelo apressadamente, sem garantias da possibilidade de realização ou não, aí sim teremos prejuízos. Temos que ser responsáveis com esta decisão, pois se acontecer a festa, será para dar certo. O governador não vai se precipitar”, disse ela.

      “Durante a pandemia o governo do Estado garantiu a segurança hídrica de 800 mil pessoas isentas do pagamento da conta de água, num  investimento de R$ 17,7 milhões. Criou o vale-alimentação estudantil, que substituiu a distribuição da merenda escolar interrompida na pausa das atividades escolares, destinando R$ 132 milhões a 800 mil estudantes nos 417 municípios baianos, valor que foi gasto em 18 mil estabelecimentos comerciais credenciados, o que fez desse programa um indutor da atividade econômica, dentre tantas ações”, frisou a vereadora.

      Acompanhe o BNews também nas redes sociais, através do Instagram, do Facebook e do Twitter

      Classificação Indicativa: Livre