Política

'Bolsonaro quer vassalos', diz Janaína Paschoal sobre candidatura de Damares

Marcelo Camargo / Agência Brasil

A deputada estadual de São Paulo foi a mais votada da história do país nas últimas eleições

Publicado em 20/01/2022, às 19h22    Marcelo Camargo / Agência Brasil    Redação BNews

A declaração do presidente Jair Bolsonaro (PL) de que a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves (sem partido) pode disputar o Senado por São Paulo não foi bem recebida por pré-candidatos que esperavam contar com o apoio do presidente.

A deputada estadual mais votada da história do país, Janaína Paschoal (PSL) tinha esperança de contar com o apoio de Bolsonaro para concorrer ao Senado, mesmo após romper com presidente e se tornar crítica de seu governo. Ela já usou as redes sociais para dizer que o mandatário parecia filiado ao PSOL.

Ao comentar o convite a Damares, Janaína disse que Bolsonaro gosta de prejudicar a direita. "Ele (Bolsonaro) quer vassalos. Nada além disso. E ele sabe que eu não sou — disse a deputada, que ainda criticou a escolha da ministra. — É preciso lembrar que o Senado é a casa em que o estados são representados. Quanto às pautas conservadoras, para defendê-las, é preciso bem mais do que dizer que menina veste rosa e menino veste azul", afirmou ela, em referência à polêmica frase dita pela ministra em 2019.

Leia também:Azi rebate Wagner: "Vexame é a Bahia figurar no primeiro lugar em violência e último em educação"

Ainda segundo Janaína, sua pré-candidatura está mantida mesmo sem o apoio do presidente. "Eu anunciei minha pré-candidatura bem antes, não pedi aval, nem apoio de ninguém", afirmou.

O novo partido ainda não está definido, mas ela adianta que não quer estar amarrada a candidato nenhum. Sobre um possível apoio a Sergio Moro, candidato do Podemos, afirmou que admira o que ele fez pelo Brasil, mas ainda é preciso ver suas propostas.

Siga o BNews no Google Notícias e receba os principais destaques do dia em primeira mão.

Classificação Indicativa: Livre