Justiça

Em aceno a Aras, João Roma comparece a sabatina no Senado Federal 

[Em aceno a Aras, João Roma comparece a sabatina no Senado Federal ]
24 de Agosto de 2021 às 11:45 Por: Jefferson Rudy/Agência Senado Por: Victor Pinto

Como forma de fazer um aceno e prestigiar o Procurador Geral da República (PGR), o baiano Augusto Aras, que passa por sabatina na Comissão de Constituição de Justiça do Senado Federal na manhã desta terça-feira (24), o ministro da Cidadania João Roma (Republicanos), deputado da Bahia licenciado, esteve presente na sala da CCJ. 

A presença do membro do primeiro escalão de Jair Bolsonaro (sem partido) e pretenso candidato ao governo da Bahia em 2022 foi anunciada pelo presidente do colegiado, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP). 

“Informar aos senadores e nossos convidados que encontra-se conosco o ministro de Estado da Cidadania e deputado federal baiano João Inácio Ribeiro Roma Neto. Pernambucano. Deputado eleito pelo Estado da Bahia. Para vossa excelência ver [ao senador Fernando Bezerra] como está o império Pernambucano. Cidadão Amapaense também, só para registrar (…). Respeito o trabalho que tem feito em um ministério importante”, brincou o democrata. 

LEIA MAIS: Senadores baianos evitam se antecipar sobre Aras, mas Wagner admite que PGR tem mais "simpatia" no Senado

RECONDUÇÃO - Aras foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ser reconduzido ao cargo de procurador-geral da República, com mandato para o biênio 2021-2023. Ele ocupa o posto desde setembro de 2019. Se aprovado na CCJ, o nome de Aras ainda precisa ser confirmado no Plenário do Senado. 

A possível recondução de Aras partiu de uma tática do presidente para arrefecer articulações que poderiam minar o nome de André Mendonça para o Supremo Tribunal Federal (STF). Há resistência a Mendonça e o plano B seria Aras. Nos últimos dias, com o pedido de impeachment Cintra o ministro Alexandre de Moraes, pedido feito pelo próprio Bolsonaro, Mendonça foi atingido com a medida.

Surgiu, nos bastidores, mais uma vez, o nome de Aras como um eventual novo indicado, caso a tentativa do ex-Advogado-Geral da República não dê resultado

Na véspera da sabatina foi o próprio Alexandre de Moares que arquivou notícia-crime contra Aras, protocolada por senadores, com acusação de prevaricacão

Antônio Augusto Brandão de Aras nasceu em Salvador, em 4 de dezembro de 1958. Bacharel em direito, ingressou no Ministério Público em 1987. Com mestrado em direito econômico, pela Universidade Federal da Bahia, e doutorado em direito do Estado, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, atua também como professor universitário.

Classificação Indicativa: Livre


Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Compartilhar