Política

Vereadora chora após evangélicos tentarem barrar trecho sobre LGBTs de projeto

Reprodução/TV - Laina chorou após fazer discurso em defesa de projeto

Laina reagiu após bancada cristã tentar retirar LGBTs do Plano Municipal de Cultura

Publicado em 01/12/2021, às 15h24    Reprodução/TV - Laina chorou após fazer discurso em defesa de projeto    Henrique Brinco

As discussões sobre o Plano Municipal de Cultura de Salvador foram acaloradas na sessão ordinária desta quarta-feira (1º), em Salvador. A bancada evangélica da Câmara Municipal é contra a inclusão do público LGBTQIA+ entre os contemplados da matéria.
"Nesse plano que está pautado hoje, querem colocar o LGBT como cultura. Respeitamos a orientação sexual de cada um, mas a gente não tem como compactuar com algo como cristãos", reagiu a vereadora Débora Santana (Avante).
A vereadora Laina (PSOL), da mandata coletiva Pretas Por Salvador, por sua vez, defendeu o trecho e chegou a se emocionar ao lembrar o preconceito que sofreu por ser lésbica. "Eu sou a única parlamentar LGBT nesta Casa e, para mim, é sempre muito difícil tentar entender o dilema e o problema com a sigla LGBT", criticou. 
"Vereadora Debora, existe sim cultura LGBT. Existe direito LGBT, existe saúde LGBT e várias áreas. Não somos uma sigla apenas. Nós existimos", emendou. "Eu não sou doente, não sou pecadora", disse, entre lágrimas.
A matéria está tramitando na Casa há alguns meses, mas ainda não havia entrado em plenário por conta da falta de acordo dos edis conservadores. A postura da bancada evangélica também foi criticada por toda a oposição, incluindo a líder do grupo, vereadora Marta Rodrigues (PT).

Classificação Indicativa: Livre