Política

Vereadora dispara contra Átila do Congo: "Não se deve abrir a boca antes de pensar"

Reprodução | Redes Sociais
Átila negou machismo dentro da Câmara e afirmou que os homens "são demonizados"  |   Bnews - Divulgação Reprodução | Redes Sociais
Alex Torres e Carolina Papa

por Alex Torres e Carolina Papa

[email protected]

Publicado em 19/06/2024, às 16h18 - Atualizado às 16h53



A vereadora Ireuda Silva (Republicanos) não deixou barato as fortes declarações do colega de Câmara, Átila do Congo (PMB), sobre as mulheres durante sessão na tarde desta quarta-feira (19), no momento em que o projeto de licença menstrual era debatido dentro da Casa.

Inscreva-se no canal do BNews no WhatsApp

Presidente do Partido da Mulher Brasileira (PMB), Átila rechaçou a ideia de que existe machismo dentro da Câmara e afirmou que os homens "são demonizados". Para Ireuda, o vereador precisa pensar antes de se manifestar publicamente.   

Acho que essa manifestação hoje aqui já ficou bem clara para o vereador Átila do Congo que não se deve mais abrir a boca antes de pensar e se posicionar em relação aos mulheres. Estamos aqui para somar, não para dividir ou trazer problemas. A fala colocada por ele aqui foi violência contra a mulher, violência política e um desrespeito para a sociedade"

O projeto de licença menstrual é de autoria da vereadora Laina Crisóstomo (Psol), do mandato coletivo Pretas por Salvador. Durante a apresentação, a psolista também foi interrompida por Paulo Magalhães Júnior (União)

A interrupção gerou um descontentamento generalizado entre as vereadoras, que saíram em defesa de Laina. Além de Ireuda, as vereadoras Débora Santana (PDT), Cris Correia (PSDB), Marcelle Moraes (União) e Roberta Caires (PDT) também saíram em defesa da colega. 

Classificação Indicativa: Livre

FacebookTwitterWhatsApp