Salvador

Operário morto na Mansão Wildberger deixa dois filhos e era natural de Pedrão

Ronaldo de Araújo Cerqueira deixa dois filhos e uma companheira. MPT vai investigar o caso

Publicado em 24/07/2017, às 13h26    Gilberto Júnior//BNews    Aparecido Silva

O metalúrgico Ronaldo de Araújo Cerqueira, 31 anos, que morreu na manhã desta segunda-feira (24) na obra da Mansão Wildberger, no Corredor da Vitória, em Salvador, era natural da cidade de Pedrão, cidade localizada no nordeste baiano. De acordo com o presidente do Sindicato da Indústrica da Construção e Madeira, José Ribeiro, a família esteve no local do acidente e o corpo começou a ser removido para o Instituto Médico Legal (IML) no início da tarde.

"A informação preliminar é que uma peça se soltou e atingiu o rosto dele, que acabou não resistindo. Vamos aguardar o resultado da perícia para saber, de fato, o que aconteceu", disse Ribeiro ao BNews.

Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Atson Batista diz que a entidade presta apoio à família do funcionário, que trabalhava para a JJ Manutenção, prestadora de serviço da ThyssenKrupp Elevadores. 

O Ministério Público do Trabalho (MPT) anunciou que vai instaurar um inquérito para apurar a morte do metalúrgico.

Notícias relacionadas:

Operário morre em obra da Mansão Wildberger no Corredor da Vitória
MPT vai investigar morte de operário em obra da Mansão Wildberger

Classificação Indicativa: Livre