Salvador

Bruno Reis reage a recomendação da Fiocruz para o Carnaval: 'É possível'

Vagner Souza/BNews

Publicado em 24/11/2021, às 11h05    Vagner Souza/BNews    João Brandão e Nilson Marinho

O Instituto Gonçalo Moniz (Fiocruz-Bahia) deu um parecer sobre a realização do Carnaval em Salvador: é preciso que pelo menos 90% da população baiana esteja vacinadacontra a Covid-19 até lá. Na manhã desta quarta-feira (24), o prefeito Bruno Reis (DEM) comentou a recomendação dos especialistas. 

Com uma visão otimista, o gestor, se referindo especificamente sobre a capital baiana, afirmou que é possível imunizar total a população até janeiro de 2022. No momento, há mais de 200 mil pessoas sem a segunda dose dos imunizantes na cidade. 

“Vocês sabem o respeito que a Fiocruz tem. Muitas das decisões do isolamento social e, depois da flexibilização, que nós tomamos ao longo de quase dois anos, foi ouvindo a opinião deles. Quando a Fiocruz estabelece que com 90% da população vacinada é possível realizar o Carnaval com segurança, isso dá um conforto maior para tomar uma decisão [...] Vamos chegar no Carnaval com 90% da população vacinada”, garantiu. 

O gestor havia afirmado que tinha que a data limite para anunciar a viabilidade da festa o final deste mês. A decisão só pode ser tomada com o governador Rui Costa (PT). Os dois, no entanto, ainda não se encontraram para tratar sobre o assunto, enquanto sofrem pressão de empresários do setor do entretenimento e trabalhadores que lucram no período momesco. 

Leia também:

Recomendação

A Fiocruz Bahia enviou um ofício à Comissão Especial de Acompanhamento da Retomada dos Eventos da Câmara Municipal de Salvador. O documento foi lido durante audiência pública realizada nesta terça-feira (23). No ofício, a Fundação sugere que dois cenários sejam considerados na organização do Carnaval: o primeiro com a pandemia controlada, com realização de atividades "normais" ou com agravamento da pandemia, com atividades limitadas.

"Temos trabalhado com o parâmetro de pelo menos 80% das pessoas com esquema vacinal completo para se ter maior segurança. Considerando que o carnaval é um evento de massa, com muitas aglomerações e circulação de pessoas (de outros estados e países), consideramos muito importante que a vacinação tenha avançado mais ainda, com pelo menos 90%", diz trecho do documento ofício assinado pela Diretora do Instituto Gonçalo Moniz, Marilda de Souza Gonçalves, da Fiocruz-Bahia.

Matérias relacionadas:

Governo da Bahia explica demora para anunciar Carnaval 2022

Bruno Reis não descarta exigir passaporte da vacina em bares e restaurantes

Pernambuco cancela realização de Carnaval

Classificação Indicativa: Livre