Cidades

"Nada vai trazer minha filha de volta", lamenta mãe de bebê morta após suposta negligência hospitalar

Reprodução/ Redes sociais

Hospital alega que as declarações de Ana são inverídicas e não procedem

Publicado em 25/11/2021, às 20h23    Reprodução/ Redes sociais    Redação Bnews

A jovem Ana Beatriz Oliveira, 20 anos, mãe da pequena Maria Isabel, de apenas seis meses fez um forte desabafo nesta quinta-feira (25), após sua filha falecer por dificuldade respiratória no último dia 19 de novembro. A mãe denuncia o Hospital Bambino, localizado no município baiano de Feira de Santana, por negligência médica. O caso vem causando revolta na web. 

No extenso relato, Ana conta que, ao levar sua filha com sintomas de febre e dificuldade respiratória ao hospital, tido como referência em atendimento pediátrico na região, teve que enfrentar um longo tempo espera para receber atendimento. Ao conseguir passar por um médico, ele receitou antibióticos para o tratamento da sua filha e a mandou para casa, recomendando que retornasse após 48h. Na mesma noite, porém, o quadro da bebê piorou e ela voltou à unidade. Lá, reavaliaram Maria e concluíram que, mais uma vez, ela poderia voltar para domicílio. Vendo o estado da filha, Ana relata que implorou para que ela fosse entubada, mas a médica recusou, afirmando que não passava de 'exagero de mãe de primeira viagem'.

Leia também:
Bandidos armados roubam R$ 20 mil e carro de feirante na Ceasa
Jovem estava a bordo de avião bimotor que caiu no mar
Familiares de percussionista desaparecido protestam na Estrada do Coco

Em contato com a equipe do BNews, a jovem afirma que, diante da situação, pediu que medissem a saturação da bebê. “Eu vi 78%, questionei a porcentagem, a médica falou que era inconsistência e que não tinha necessidade de submeter ela ao trauma de pegar um acesso venoso. Isso é inadmissível!", detalhou a mãe. ⁣

No dia seguinte, a avó da criança percebeu que ela acordou sem respirar. Ana conta que, de imediato saiu para a rua gritando por socorro, até conseguir carona para outra unidade de saúde. “Infelizmente já era tarde demais. Não tinha mais chances de salvar a minha filha. Deveriam ter colocado ela no oxigênio quando eu pedi, mas desdenharam de mim”, lamentou emocionada.

Com o agravamento do caso, Maria veio a óbito no dia seguinte, na Policlínica do Parque Ipê, também em Feira de Santana. A causa da morte ainda é indefinida.

Após o trágico ocorrido, Ana ressalta que, de agora em diante, seu único objetivo é fazer com que outras mães não tenham que passar por situação semelhante. "Nada do que eu faça ou fale vai trazer a minha pequena Maria de volta, mas eu vou lutar para que situações como essa não voltem a acontecer. Só quero justiça, para que nenhuma mãe tenha que sentir a dor que estou sentindo", concluiu. 

Em nota, o Hospital Bambino afirmou que seguiu todos os protocolos da Sociedade Brasileira de Pediatria, e que a paciente “não preencheu os critérios de internamento e, por isso, foi encaminhada para tratamento domiciliar com receita médica e orientação de retorno em 48h. A unidade também alega que as declarações de Ana são inverídicas e não procedem. 

Confira nota ofical do hospital:

Confira a íntegra do relato de Ana Beatriz:

 Acompanhe o BNews também nas redes sociais, através do Instagram, do Facebook e do Twitter

Classificação Indicativa: Livre