Coronavírus

'Vão pagar caro': Neonazista envia ameaça a Anvisa e manifesta apoio ao presidente em e-mail

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Autor da mensagem se insurgiu contra recomendação da Agência sobre vacinação de crianças entre 5 e 11 anos contra a Covid

Publicado em 30/12/2021, às 08h37    Marcelo Camargo/Agência Brasil    Redação BNews

Um neonazista do estado do Rio Grande do Sul enviou um e-mail de ameaça à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) prometendo que diretores e técnicos da instituição vão "pagar caro" pela recomendação de vacinar crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19.

A informação foi revelada pela jornalista Natuza Nery, da GloboNews e da CBN, na última quarta-feira (29).

Na mensagem, enviada na última segunda-feira (27), o autor das ameaças informa seu nome, CPF e encaminha um vídeo executando um cachorro. O e-mail contém frases como "olha o que vai acontecer com vocês" e "os senhores vão pagar caro".

"Irei me deslocar da minha casa, no Rio Grande do Sul, até Brasília e irei purificar a terra onde a Anvisa está instalada usando combustível abençoado. O apocalipse se aproxima", promete. A mensagem, segudo a articulista, termina com uma saudação nazista e com uma manifestação de apoio ao presidente - "Bolsonaro 2022".

Essa é uma das mensagens recebidas pelos profissionais da instituição após o presidente Jair Bolsonaro (PL) pedir a lista com os nomes dos técnicos que tomaram a decisão favorável à vacinação infantil. No último dia 16, a Anvisa aprovou o uso de uma versão da vacina da Pfizer contra a Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos.

Também posteriormente, o Ministério da Saúde abriu uma consulta pública sobre o tema que segue até o próximo domingo (2), com a disponibilização de um formulário online sobre o tema. Segundo o ministro da pasta, Marcelo Queiroga, a decisão final será anunciada na próxima quarta-feira (5).

Todas as mensagens com ameaças que diretores e técnicos da agência receberam foram encaminhadas ao Supremo Tribunal Federal (STF). O documento foi protocolado na última sexta-feira (24), atendendo a uma determinação do ministro Alexandre de Moraes.

O membro do STF deu o prazo de 48 horas para que o diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, se manifestasse sobre um pedido de investigação contra o presidente por suposta intimidação de servidores da Agência.

No último dia 20, a Polícia Federal (PF) havia aberto uma investigação para apurar as ameaças sofridas pelos profissionais da Anvisa.

No e-mail, o neonazista também diz que estará "bem longe" quando Moraes - a quem ele se refere como Xandão, apelido consagrado pelo ex-deputado Roberto Jefferson (PTB) - "mandar os vagabundos parasitas da PF" para sua casa.

Siga o BNews no Google Notícias e receba as principais notícias do dia em primeira mão.

Classificação Indicativa: 10 anos