Economia

Petrobras anuncia aumento no preço da gasolina, gás e do diesel

Agência Brasil

Os consumidores aguardam que o governo adote medidas para conter o preço nas bombas

Publicado em 10/03/2022, às 11h28    Agência Brasil    Redação

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (10) o reajuste dos preços nas refinarias da gasolina e diesel após quase dois sem reajuste. A medida acontece em meio à alta do petróleo ocasionada pelo conflito entre Rússia e Ucrânia que já dura 15 dias. "Após 57 dias sem reajustes, a partir de 11/03/2022, a Petrobras fará ajustes nos seus preços de venda de gasolina e diesel para as distribuidoras", informou o comunicado da estatal.

De acordo com as informações do G1, a partir de amanhã, sexta-feira (11), o preço médio de venda da gasolina para as distribuidoras passará de R$ 3,25 para R$ 3,86 por litro, o que corresponde um aumento de 18,8%. Já o diesel terá uma alta de 24,9%, o preço médio passará de R$ 3,61 para R$ 4,51 por litro.

Leia mais:

Preço do trigo cai após várias oscilações na bolsa de Chicago

Dólar cai abaixo de R$ 5 com mudança de tom entre Rússia e Ucrânia

Governo lança benefício para gestantes

O gás de cozinha, GLP da Petrobrás, que já cumulava 152 dias sem alta, também vai ser reajustado em 16,1% na venda para as distribuidoras, e passará de R$ 3,86 para R$ 4,48 por kg o que equivale a R$ 58,21 por 13kg.

"Após serem observados preços em patamares consistentemente elevados, tornou-se necessário que a Petrobras promova ajustes nos seus preços de venda às distribuidoras para que o mercado brasileiro continue sendo suprido, sem riscos de desabastecimento, pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras", justificou.

A Petrobras alega também não ter repassado a volatilidade dos preços decorrentes da guerra da Ucrânia de forma imediata. “Esses valores refletem parte da elevação dos patamares internacionais de preços de petróleo, impactados pela oferta limitada frente a demanda mundial por energia. Mantemos nosso monitoramento contínuo do mercado nesse momento desafiador e de alta volatilidade", acrescentou.

O preço do combustível nas bombas vai depender da incidência de impostos e da política de lucro praticada entre distribuidores e revendedores. Até a semana do dia cinco de março, o preço médio da gasolina no país era de R$6,577 e o diesel era R$ 5,603, segundo a última pesquisa divulgada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP)

Os consumidores esperam que o governo adote medidas para conter a alta dos preços dos combustíveis. Mas, o senado segue sem consenso para a votação de dois projetos nesse intuito e já adiou, nesta quarta-feira (9), pela terceira vez, a pauta.

Com olho na reeleição, o presidente Jair Bolsonaro tem indicado, porém, que não deve deixar a estatal brasileira repassar integralmente a alta do petróleo no mercado internacional aos preços do mercado interno.

Siga o BNews no Google Notícias e receba as principais notícias do dia em primeira mão!

Classificação Indicativa: Livre