Eleições / Eleições 2022

Boulos abre mão de candidatura ao governo de SP e anuncia novo projeto eleitoral; entenda

Foto: Divulgação/Facebook Guilherme Boulos

Guilherme Boulos foi candidato à presidência em 2018 e à prefeitura de SP em 2020

Publicado em 21/03/2022, às 09h38 - Atualizado às 11h59    Foto: Divulgação/Facebook Guilherme Boulos    Redação

Guilherme Boulos (Psol) retirou a pré-candidatura ao governo do estado de São Paulo e vai se lançar como postulante a deputado federal nas próximas eleições. O anúncio foi realizado em entrevista à colunista Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo.

"Depois de conversar com muitos companheiros do meu partido e de analisar o cenário, eu decidi que não vou ser candidato ao governo de São Paulo. Defendo que a unidade [da esquerda] é essencial para acabar com o 'tucanistão' e para derrotar o [presidente Jair] Bolsonaro em São Paulo. E não foi possível uma unidade da esquerda em torno do meu nome. Eu me pauto por projeto político. E não por ego ou por vaidade pessoal", disse Boulos à coluna.

Leia mais:
BTG/Pacutal: Lula segue na liderança, mas diferença para Bolsonaro cai novamente; veja números
Pastor convocado pelo PT dá dicas a Lula sobre temas tabus para evangélicos
Lula mira redes sociais para atrair evangélicos, e Bolsonaro busca fidelizar igrejas

Boulos afirmou que a mudança de planos é por conta da importância que ele avalia de criar uma bancada de esqueda no Congresso."Nós precisamos derrotar o centrão, que hoje está mandando no país. E eu acho que posso ajudar mais nesta tarefa. E ajudar também o PSOL não apenas a ultrapassar a cláusula de barreira como também a aumentar sua bancada [de deputados federais na Câmara]. O PSOL é um partido fundamental para o Brasil, que traz pautas e que traz agendas que precisam ter mais espaço e visibilidade no Congresso Nacional", disse Boulos em entrevista publicada nesta segunda (21).

Leia mais:PT remarca evento com Lula e Jerônimo sem presença de público; saiba nova data
Diferença entre Jerônimo e Neto é de 8% com apoio de padrinhos políticos, aponta Instituto Opnus; confira números

Mesmo com a retirada da candidatura ao governo, Boulos afirmou que o partido ainda não definiu se vai apoiar Fernando Haddad (PT), apesar de ser sua preferência: "O Haddad é hoje o candidato que está melhor posicionado dentro do campo progressista. Mas essa definição não é individual minha", declarou Boulos.

Siga o BNews no Google Notícias e receba as principais notícias do dia em primeira mão.

Classificação Indicativa: Livre